Fichamento do livro: freud e a educação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (526 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
KUPFER, Maria Cristina Machado. Freud e a Educação. O Mestre do impossível. São Paulo.
Editora Scipione. 3 ed. 8ª impressão. 2004.
Ao iniciar a leitura de Freud e a Educação, nos deparamos com asua história pessoal, juntamente com a construção da psicanálise.
Diante desse relato encontramos dois mundos, o da Psicanálise e o da Educação, que
acabaram por se tornar um desafio para oseducadores. Percebemos que o inconsciente acaba tomando conta da realidade sobre o que dizemos, tendo assim, efeitos sobre nossos ouvintes.
Observamos que uma metodologia pedagógica psicanalítica torna-se umtanto improvável,
pois isso implicaria colocar constância, previsibilidade e sequência no desconhecido.
O educador consegue ter controle sobre o seu aprendizado, porém não sobre o seu aprendiz, porque não podemos prever as consequências entre objeto e indivíduo.
A Psicanálise pode auxiliar o educador na transferência do conhecimento para seu educando, porém não se pode confirmar que osresultados sejam positivos e visíveis. Já na Pedagogia para ensinar existe a necessidade de repressão, para se ter o controle de uma energia sublimada e não sexualizada.
Devido à subjetividade de cadaindivíduo, o educador deve se preocupar com o que é possível, sem reprimir as atividades, auxiliado na construção de um pensamento renovado, para que se possam criar novos conhecimentos, apontando oscaminhos que devem ser traçados.

FREUD E SEUS MESTRES
[...] Freud procedeu a algo que ele próprio chamou de auto-análise, mais que pode ser chamado,
com justiça, de análise, já que Fliess desempenhou,sem saber o papel do analista. (p. 27). [...]
Pôs fim à busca, até então compulsiva, de um mestre-pai, e o reencontrou em si próprio. (p. 28).

FREUD, ELE PRÓPRIO UM MESTRE
[...] De um lado, eracapaz de aprender com aqueles que não sabiam; ou seja, seus pacientes.
Mas, de outro, não era o mesmo com aqueles que sabiam ou queriam saber. Freud parecia sentirse ameaçado por seus discípulos, e...
tracking img