Fichamento de "o encontro" - o mistério do samba

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1881 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
"Gilberto Freire conheceu a capital do Brasil aos 26 anos, depois de já ter realizado seus estudos universitários nos Estados Unidos e de ter visitado vários países europeus." (Pág. 19)
"Ficou registrado um acontecimento singular da passagem de Gilberto Freyre pelo Rio de Janeiro: "Sérgio e Prudente conhecem de fato literatura inglesa moderna,além da francesa. Ótimos. Com eles saí de noiteboemiamente. Também com Villa-Lobos e Gallet. Fomos juntos a uma noitada de violão, com alguma cachaça e com os brasileiríssimos Pixinguinha, Patrício, Donga." (Freyre, 1975:189)
"Essa "noitada de violão", pode servir como alegoria, no sentido carnavalesco da palavra, da "invenção de uma tradição", aquela do Brasil Mestiço, onde a música samba ocupa lugar de destaque como elemento definidor danacionalidade." (Pág. 20)
"A noção de civilização, nessa época, já se confundia com uma ideia de conquista da modernidade" (Pág. 22)
" A pré-cultura de massa carioca não demorou muito para carnavalizar os ensinamentos da vanguarda paulista." (Pág. 22)
"Gilberto Freyre condenava a Avenida Central, elogiando ruas estreitas como a do Ouvidor, cheias de sombra e portando mais adequadas ao calortropical. E fazia a apologia do morro da Favela como um exemplo de "restos do Rio de antes de Passos, pendurados por cima do Rio novo." (Freyre, 1979,vol II:335) " (Pág. 23)
"Vida boêmia de Gilberto Freyre nessa sua primeira visita a um Rio já irremediavelmente novo. Vale a pena entrar nos detalhes da organização de sua "noitada" com "os brasileiríssimos Pixinguinha, Donga e Patrício", mostrando como umaextensa rede de relações entre grupos sociais e indivíduos diversos" (Pág. 23)
"Foi o paulista Sérgio Buarque de Holanda quem apresentou, " antes da semana de 22", a arte moderna para o carioca Prudente de Moraes Neto." (Pág. 23)
"Foi esse interesse pelo raro, mais especificamente pela modernidade literária europeia, que aproximou a dupla da revista Estética daquele jovem e ainda desconhecido,mas já extremamente presunçoso, antropólogo pernambucano" (Pág. 23)
"Portanto, a relação de amizade não foi produto de um interesse pela cultura popular brasileira, muito menos por sua vertente "regionalista". (Pág. 24)
"Sérgio Buarque de Holanda e Prudente de Moraes Neto levaram Gilberto Freyre ao espetáculo Tudo preto, apresentado pela Companhia Negra de Revista, a primeira experiênciateatral brasileira realizada só com artistas negros (o único branco era o empresário), incluindo o diretor De Chocolat e o maestro Pixinguinha. Tudo preto causou furor naquela temporada teatral carioca. Segundo o jornal Correio da Manhã (17/8/26) , o espetáculo era "a mais alta novidade thearal do momento", assistida com "magnífico prazer espiritual". O jornal A Noite (2/8/26) usou o adjeito"estrondoso" e comentava o atropelo da "multidão" na noite de esrteia. Nenhum dos jornalistas e críticos se espantou com a presença exclusiva de negros em cena, todos aplaudiram a iniciativa, como se nada de realmente extraordinário estivesse acontecendo. Mas a publicidade da Companhia Negra de Revista não podia conter o orgulho:" a vitória da raça negra no theatro alegre". Uma vitória também de miss Mons -"excêntrica franceza", segundo o Correio da Manhã - que executava "um outhentico batuque africano". (Pág. 25)
"Gilberto Freyre apreciou o batuque de miss Mons, mas ficou entusiasmado menos foi com a música de Pixinguinha e quis conhecer o maestro do nascente samba carioca em outra situação. (Pág. 25)
" Um estrangeiro teria chamado a atenção de intelectuais cariocas para e música pupular de suacidade." (Pág. 25)
"Talvez um lapso do pernambucano, que gostava de identificar a boemia afro-brasileira-carioca com a figura nacionalista (e também boêmia e popular entre os sambistas da cidade) de Villa-Lobos, como demonstra este seu depoimento de décadas depois: " Meu amigo Assis Chateubriand iniciou-me em vários brasileirismos cariocas e Estácio Coimbra, noutros. Até que, com Prudente de...
tracking img