Fichame

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5013 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
nto
[pic]

DIREITO - 1º PERÍODO



















PORTFÓLIO
FILOSOFIA GERAL E JURÍDICA


















Arapiraca
2012
















PORTFÓLIO

FILOSOFIA GERAL E JURÍDICA







Trabalho apresentado ao Curso Direito –, como requisito parcial para a obtenção de média semestral na disciplinade Filosofia Geral e Jurídica.


Prof.












Arapiraca
2012

I - “O PRINCIPE” de MAQUIAVEL
Seminário apresentado no dia 22/10/2012


• Em sua obra “O Príncipe”, Nicolau Maquiavel mostra a sua preocupação em analisar acontecimentos ocorridos ao longo da história, de modo a compará-los à atualidade de seu tempo. Analisa a sociedadede maneira fria e calculista e não mede esforços quando trata de como obter e manter o poder.
• Para Maquiavel 50% da atividades humanas depende da sorte e outro 50% depende da atividade do homem.
• Apresenta dois tipos de principados o hereditário e o adquirido, e aponta quais são as duas formas de como o governante chega ao poder uma pela virtude e outra pela fortuna.
• Se umPríncipe conquista determinado Estado e tenta mudar seus costumes, corre o risco de o povo revoltar-se contra ele, o que pode gerar conspirações apoiadas pela grande massa o povo. Deste modo, o Príncipe respeitando a cultura local, se manterá no poder; a menos que, como diz Maquiavel, uma força excepcional o derrube, porém, se tal fato ocorrer, poderá reconquistá-lo na primeira oportunidade oferecidapelo usurpador.
• O povo tem sempre o desejo de mudança, desejo de melhoria; as pessoas, segundo Maquiavel, mudam com grande facilidade de governantes esperando tal mudança, que, no pensar de Maquiavel, é sempre para pior.
• Quem chega ao poder em troca de dinheiro ou pela graça alheia, com muita dificuldade manter-se-á no poder. Só com muito engenho e valor poderá se manter.
• O povotem enorme influencia para definir o a força de um Estado; se o povo estiver ao lado do Príncipe , mesmo que um dominador consiga tomar o lugar do Príncipe , não se dará bem, pois o povo se levantará contra ele.
• Quem quiser praticar sempre a bondade em tudo o que faz está fadado a sofrer, entre tantos que não são bons. É necessário, portanto, que o Príncipe que deseja manter-se aprenda aagir sem bondade, faculdade que usará ou não, em cada caso, conforme seja necessário."
• O amar vem de acordo com cada homem, mas o temor lhes é imposto; sendo assim o Príncipe deve fazer o uso do que lhe tem nas mãos, e não no que depende da vontade alheia.
• O Príncipe não deve nunca aliar-se a alguém poderoso para causar dano a outrem, a não ser quando for necessário, pois se o aliadovence, o Príncipe fica sujeito ao seu poder.
• O ministro que procura sempre em todas as suas ações seu próprio interesse nunca será um bom ministro, não merecendo confiança. Quem é ministro nunca deve pensar em si próprio, mas sim no monarca. Para assegurar a fidelidade do ministro, o Príncipe deve honrá-lo e enriquecê-lo, fazendo lhe favores e atribuindo lhe encargos.
• O tempo vaideterminar como que cada Príncipe deve agir, contudo deve-se agir no tempo certo e sempre preparado para quando a sorte variar, assim Maquiavel aconselha ser impetuoso a cauteloso com a sorte.
• Maquiavel expressa o seu anseio pela libertação de sua pátria, a Itália.
• Maquiavel deixa explícito neste Capítulo que seu desejo é que Lorenzo de Medici se torne o soberano da Itália daquelestempos, deixando claro também o principal motivo de ter escrito O Príncipe , um manual para que Lorenzo de Medici reine com êxito na Itália:
II - CONTRATUALISMO OU CONTRATO SOCIAL
Seminário apresentado no dia 25/10/2012


• Maior importância na Modernidade; Primeiro teórico Contratualista: Thomas Hobbes (1588/1679); Locke, Rousseau, Kant; Hegel e Marx; John Rawls.
• Estado Natural -...
tracking img