Fgdsf

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1832 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Idalberto Chiavenato

INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL
DA
DA ADMINISTRAÇÃO
Elsevier/Campus
www.elsevier.com.br
www.chiavenato.com

PARTE NOVE
ABORDAGEM CONTINGENCIAL
DA
ADMINISTRAÇÃO

Capítulo 18
Teoria da Contingência
(Em Busca da Flexibilidade e da Agilidade)










As Origens da Teoria da Contingência.
O Ambiente.
A Tecnologia.
A Organização e seus Níveis.O Homem Complexo.
O Modelo Contingencial da Motivação.
A Teoria Contigencial da Liderança.
A Estratégia Organizacional.
Apreciação Crítica da Teoria da Contingência.

Origens da Teoria da Contingência

Pesquisa de Chandler
sobre estratégia e estrutura:


Acumulação de recursos.



Racionalização do uso de recursos.



Continuação do crescimento.



Racionalização douso de
recursos em expansão.

Origens da Teoria da Contingência
Pesquisa de Burns & Stalker:

Pesquisa de Burns & Stalker:

a)

Organizações mecanísticas:

b)

Organizações orgânicas:



Estrutura burocrática baseada na divisão
do trabalho.



Estrutura organizacional flexível com
pouca divisão do trabalho.

2.

Cargos ocupados por especialistas.

2.

Cargosmodificados e redefinidos.

3.

Decisões centralizadas na cúpula.

3.

Decisões descentralizadas e delegadas.

4.

Hierarquia rígida e comando único.

4.

Hierarquia flexível.

5.

Sistema rígido de controle.

5.

Tarefas executadas pelo conhecimento.

6.

Predomínio da interação vertical.

6.

Predomínio da interação lateral.

7.

Amplitude de controle maisestreita.

7.

Amplitude de controle mais ampla.

8.

Ênfase nas regras e procedimentos formais.

8.

Confiabilidade nas comunicações informais.

9.

Ênfase nos princípios universais da Teoria
Clássica.

9.

Ênfase nos princípios da Teoria das
Relações Humanas.

Figura 18.2. Propriedades da
estrutura mecanística e orgânica.
Desenho Mecanístico

Desenho Orgânico

•Coordenação centralizada.

• Elevada interdependência.

• Padrões rígidos de interação em
cargos bem definidos

• Intensa interação em cargos
auto-definidos, flexíveis e mutáveis.

• Limitada capacidade de
processamento da informação.

• Capacidade expandida de
processamento da informação.

• Adequado para tarefas simples
e repetitivas.

• Adequado para tarefas únicas e
complexas.

•Adequado para
eficiência da produção.

•Adequado para criatividade e
inovação.

Origens da Teoria da Contingência
Pesquisa de Lawrence & Lorsch:
1.

Conceito de diferenciação e de integração.
1.
2.

Diferenciação.
Integração.

2.

Conceito de integração requerida e
de diferenciação requerida.

3.

Teoria da Contingência.

Pesquisa de Joan Woordward
sobre a tecnologia:
•Produção unitária ou oficina.



Produção em massa ou mecanizada.



Produção em processo ou automatizada.

Quadro 18.2. Os três tipos de tecnologia de produção
Tecnologia

Tecnologia Utilizada

Resultado da Produção

• Habilidade manual ou operação de ferramentas.

Produção
Unitária ou
Oficina

• Produção em unidades.

• Artesanato.

• Pouca previsibilidade dosresultados.

• Pouca padronização e pouca automatização.
• Mão-de-obra intensiva e não especializada.

Produção
em
Massa

• Máquinas agrupadas em baterias do mesmo
tipo (seções ou departamentos)
• Mão-de-obra intensiva.
• Mão-de-obra barata e utilizada com
regularidade.
• Processamento contínuo por meio de máquinas

Produção
Contínua

• Incerteza quanto à seqüência
das operações.• Produção em lotes e em
quantidade regular.
• Razoável previsibilidade dos
resultados.
• Certeza quanto à seqüência
das operações.
• Produção contínua e em
grande quantidade.

• Padronização e automação.
• Previsibilidade dos resultados.
• Tecnologia intensiva.
• Pessoal especializado.

• Certeza absoluta quanto à
seqüência das operações.

Quadro 18.3. Tecnologia e suas...
tracking img