Fffdffsfsf

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3245 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TEMAS DE REDAÇÃO
POLÍCIA

1º tema
Em meio aos saques e à insegurança,
cidades catarinenses atingidas pelas chuvas estão
sob uma espécie de toque de recolher decretado
pela Polícia Militar. Só poderão ficar nas ruas, à
noite, moradores ou voluntários para ajudar os
desalojados. Filas de distribuição de alimentos se
espalham pelas cidades.
O Globo, 28/11/2008, capa.

Considerando que ofragmento acima tem caráter
unicamente motivador, redija um texto
dissertativo acerca do seguinte tema.

Em meio à tragédia, a violência que gera
insegurança
Ao elaborar seu texto, aborde, necessariamente, os
seguintes aspectos:
* aspectos marcantes do quadro de violência e
insegurança no Brasil atual;
* que esperar do aparelho policial ante a explosão
de violência;
* políticaspúblicas em áreas marcadas pela
insegurança.

2º tema
A vida em sociedade exige uma clara
definição dos limites entre a liberdade do cidadão e
o poder do Estado. A análise de alguns casos de
intervenção estatal privada pode levar à conclusão
de que, nesses casos, o Estado cerceia a liberdade
individual, assumindo uma faceta totalitária. Podese argumentar, por outro lado, que tais medidas
sãoinerentes ao papel do Estado, pois visam a
garantir o bem-estar do cidadão e da sociedade
como um todo.

Usando os textos da coletânea apenas
como base de reflexão, escreva um texto
dissertativo sobre o seguinte tema:

Poder do Estado e direitos do cidadão: os
limites da liberdade.
1. Ah, gozar a vida! Exercitar-se todo dia, Não comer
carne, não beber, usar camisinha, não consumir drogase, claro, não fumar. Está aí a receita para atingir a meta
final: morrer, sim, mas um minuto, três semanas,
quatro meses ou alguns anos depois do amigo fumante,
gordo, desregrado, carnívoro e promíscuo (...) Foi,
certamente, pensando nisso que o prefeito (...) resolveu
proibir o cigarro em restaurante. Está muito certo.

Garante, assim, que na hora do repasto ninguém possa
encurtar avida. Ao menos com tabaco. Pense quanto
tempo os paulistanos viverão a mais graças ao decreto!
Pena que, por uma lamentável falha não se cogitou em
interditar a ingestão, comprovadamente maléfica, de
doses excessivas de gordura, açúcar refinado e álcool
nos restaurantes.
(Marcos Augusto Gonçalves. Obrigado por não fumar. Folha de S. Paulo)

2.
A polêmica surgiu. Há quem proteste contra a
leide obrigatoriedade do uso do cinto de segurança.
Que direito tem o Estado de interferir na minha
segurança pessoal? Como é que legisla sobre os riscos
que quero assumir? Vai agora proibir o alpinismo, a
asa-delta, o boxe? O álcool e o cigarro serão banidos
da cidade? Merece ser multado quem passeia à noite
pela praça da Sé? O suicídio está fora da lei? Sem
dúvida, a obrigatoriedade docinto de segurança está
em desacordo com os princípios liberais. Se alguém
quer arriscar a vida, recusando-se a usar o cinto, é
problema dele. O Estado nada tem a ver com isso. (...)
Mas será que quando alguém deixa de usar o cinto, está
conscientemente optando pelo risco de ter u m acidente
fatal?
Marcelo Coelho. Cinto desperta desejo de obedecer à lei. In: Folha de S.
Paulo. (Com adaptações)3.
O norte-americano Arthur Younkin, de 45
anos, foi condenado a cumprir 95 dias de prisão por ser
gordo. Um juiz da cidade de Wichita deu a sentença
porque ele não cumpriu a ordem de perder peso
“substancialmente”. Younkin pesa 200 quilos e,
segundo seu advogado, a obrigatoriedade do controle
de peso é institucional. (...) Younkin foi mandado
embora da lanchonete em que trabalhavaporque um
cliente se queixou às autoridades de saúde da cidade
que ele suava sobre a comida, apesar de usar duas
camisetas e um pano protetor na cabeça. Convocado
pelo juiz, Younkin reclamou que seu peso o impede de
ter um emprego. Em vez de retirar a queixa, o jui z o
enviou para uma instituição na qual ele só poderia
consumir 1200 calorias por dia, no máximo. Depois de
perder 25 quilos,...
tracking img