Fenomenologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5638 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO À FENOMENOLOGIA

INTRODUÇÃO

Origem e propósito do livro

O projeto de escrever este livro começou numa conversa que tive com Gian-Carlo na primevera de 1996. Na ocasião lecionava como professor visitante de Matemática e Filosofia na Theo Catholic University of Amarica.
Em filosofia, por constraste, trabalhos clássicos frequentemente são mais valorizadoscomo objetos de exegese que como recursos a ser explorados.
(Pág.9)
Há muitos livros e artigos que comentam Husserl;por que não tentar imitar alguma introdução que ele mesmo teria escrito? Pareceu a coisa certa a fazer, porque a fenomenologia pode continuar a oferecer umaimportante contribuição para a filosofia atual.
A fenomenologia é o estudo da experiência humana e dos modos como as coisas se apresentam elas mesmas para nós em e por meio dessa experiência . Este livro está escrito, sobretudo, não apenas para informar aos leitores sobre um movimento filosófico específico, mas para oferecer a possibilidade do pensamento filosófico em uma época em que talpensar é seriamente contenstado ou largamente ignorado.
Por ser este livro uma introdução à fenomenologia, utilizou-se nele o vocabulário filosófico desenvolvido por aquela tradição. Empregaram-se palavras como “intencionalidade”,”evidência”, “constituição”, intuição categoral”, o “mundo-da-vida” e “intuição eidética”. Contudo não faço comentários sobre esses termos como estranhos anosso próprio pensamento. Apenas os utilizo. Julgo que nomeiam fenômenos importantes e os quero tornar acessíveis aos leitores deste livro. (Pág.10)
Haverá uma cronologia da fenomenologia como apêndice deste livro. No momento, recordemos simplesmente que /edmund Husserl (1859-1938) foi o fundador dafenomenologia, e que seu trabalho Investigações lógicas pode, com justiça, ser considerado o ponto inicial do movimento.
A fenomenologia influenciou muitos outros movimentos filosóficos e culturais, tais como: hermenêutica, estruturalismo, formalismo literário e desconstrutivismo. Durante todo o século XX foi o maior componente daquilo que se denominou “filosofia continental”, em oposição àtradição “analítica” que tipificou a filosofia na Inglaterra e nos Estados Unidos. (Pg.11)
A fenomenologia e a questão dos aparecimentos
A fenomenologia é um movimento filosófico significarivo porque lida muito bem com o problemas dos aparecimentos. A questão dos aparecimentos tem sido parte dos problemas humanos desde a origem da filosofia.
Um dos perigoscom os quais nos deparamos é com a expanção tecnológica de imagens e palavras tudo parece se reduzir a meras aparências. (Pág. 11)
Nós podemos formular este problema em termos de trêstemas: de partes e todos, idnetidade em multiplicidades e presença e ausência: parece que estamos agora inundados por fragmentos sem quaisquer totalidades, por multiplicidades carentes de identidades, e pormúltiplas ausências sem nenhuma presença duradoura real.
A fenomenologia insiste que a identidade e a inteligibilidade estão disponíveis nas coisas, e que nós mesmos somos definidos como aqueles para os quais estas identidades e inteligibidades são dadas.
Não Podemos pensar as coisas dadas para nós na experiência , mas somentepodemos compreender também a nós mesmos enquanto as pensamos. A fenomelogia é precisamente este tipo de compreensão: a fenomenologia é autodescoberta da razão na presença de objetos inteligíveis. ... Muitos filóofos reivindicaram que nós podemos aprender a viver sem “verdade” e sem “racionalidade”, mas este livro tenta mostrar que podemos e devemos exercitar a responsabilidade e a veracidade...
tracking img