Fases do desenvolvimento infantil segundo freud e piaget

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2284 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Nascimento a 1 ano
Nessa idade temos a fase oral que é trazida por Freud no desenvolvimento psicoafetivo da criança. Nessa fase a boca é a zona erógena, ou seja, o prazer advém dessa parte do corpo. Vemos que a criança leva à boca tudo o que pega, não apenas para fins de alimentação, mas sobretudo, para o prazer de sugar, pôr movimento nos lábios, contrair e relaxar a boca sucessivamente. Noinício essa pulsão oral é o mamilo do seio materno, mamadeira, o próprio fluxo de leite quente, mas algum tempo depois, partes do seu corpo passam a ser objeto de prazer, e começa a sugar a sua língua, o polegar. São considerados objetos que sustentam suas fantasias, pois o apego aos objetos reais é na verdade um apego aos objetos fantasiados. A isso podemos relacionar o narcisismo: a criançasuga, acaricia o objeto real, mas na verdade acaricia a ela mesma. Além do prazer em sugar, com o nascimento dos dentes traz a possibilidade de prazer ao morder.
Nessa mesma idade, se estendendo do nascimento até os dois anos, temos o Nível sensório-motor que é apresentado por Piaget como um estágio de desenvolvimento cognitivo da criança. Nesse período dos dois primeiros anos de vida, a criançareage ao mundo pelo sensório-motor, suas ações são baseadas em suas sensações e compreendem o mundo através delas. Esse período representa a conquista através da percepção e dos movimentos de todo o universo prático que cerca a criança e é anterior à linguagem.
O recém nascido apresenta ações reflexas à princípio. No decorrer do amadurecimento do sistema nervoso e interação da criança com seumeio, essas ações são modificadas, aperfeiçoa-se então o repertório de esquemas reflexos advindos com o nascimento. Segundo Piaget (2002) a falta de linguagem e de função simbólica, tais construções se efetuam exclusivamente apoiadas em percepções e movimentos, através de uma coordenação sensório-motora sem intervenção do pensamento.
Para o bebê o que está a sua volta só existe quando ele osvê, os toca, portanto seus comportamentos imitativos acontecem quando modelo imitado está presente, quando o modelo sai de cena é como se ele deixasse de existir. O mundo do bebê é o daqui agora, se ele reproduz algo que não está presente, representa a interiorização do que está sendo imitado.
As principais características do comportamento da criança nessa fase é principalmente a ausência dalinguagem assim como da representação. No final dela, a criança já tem noção que o objeto existe mesmo não estando presente e já consegue distinguir o que é dela e o que é do mundo dessa forma, consegue interagir com ele de forma mais complexa. As noções de causalidade, espaço e tempo, que são construídas pela ação, caracterizada por uma inteligência eminentemente prática, também surgem nessa fase. Ainteligência prática diz respeito à manipulação de objetos centra-se em percepções e movimentos organizados pelos esquemas de ação: agarrar, jogar o objeto, balançar. Essa ação com objeto revela a intencionalidade e plasticidade.
A comunicação expressa pela criança no primeiro ano ocorre por conta da imitação. Aprende aos poucos a imitar, num caminhar de simples movimentos espontâneos para, nofinal do período proceder a imitações de movimentos mais complexos, como os que envolvem o rosto e a cabeça. (Piletti e Rossato, 2011).
As três etapas apresentadas por Piaget organizadas entre o nascimento e o fim desse período são: a dos reflexos, a da organização das percepções e hábitos e a da inteligência sensório motora.

1 a 3 anos
Na fase do desenvolvimento psicoafetivo referindo àobra freudiana, a criança se depara com um deslocamento da energia para a extremidade inferior do trato digestivo: a região anal. Ela passa a ter maior consciência do seu corpo e o seu prazer advém do processo de eliminação ou retenção com o controle da evacuação e micção. Tornam-se prazerosos os movimentos intestinais, caracterizando a fase anal. Nela, a criança vive o conflito entre o id para...
tracking img