Farmacologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2576 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CARRINHO DE EMERGÊNCIA

INTRODUÇÃO

Um Carro de Parada é um armário que contém os equipamentos usados por médicos e enfermeiros quando acontece uma parada cardíaca. Esta é uma situação que exige procedimentos de socorro imediatos. Conforme a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), a nomenclatura mais apropriada é Carrinho de Emergência.
Com base nessa necessidade, propõe-se apadronização dos carros de emergência, objetivando homogeneizar o conteúdo e quantidade de material dos carrinhos nas diferentes unidades, retirando o desnecessário e acrescentando o indispensável, de forma a agilizar o atendimento de emergência e reduzir o desperdício.

AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO

Material de Proteção

Os equipamentos de proteção individual são: luvas, máscaras, gorros, óculos deproteção, capotes (aventais), porem no carrinho de parada deve conter luva mascara e óculos.

Luva

Deve se usada sempre que houver possibilidade de contato com o sangue, secreções e excreções, como mucosas ou com áreas de pele não íntegra (ferimentos, escaras, feridas cirúrgicas e outros). As luvas estéreis estão indicadas para procedimentos invasivos e assépticos.

Máscaras, gorros eóculos de proteção

Devem ser usados durante a realização de procedimentos em que haja a possibilidade de respingo de sangue e outros fluidos corpóreos, nas mucosas da boca, nariz e olhos do profissional.

Monitor/Desfibrilador

O desfibrilador é um aparelho elétrico com dois eletrodos que são colocados sobre o peito. Ele descarrega eletricidade no coração quando é indicada uma freqüênciafatal. O objetivo é dar choques no coração para que ele volte ao normal.

Tábua de parada (prancha de cama)

No leito hospitalar, antes de iniciar a Recuperação Cardiopulmonar Compressiva deve ser colocado um suporte firme sob as costas do paciente. Uma tábua que se estenda dos ombros até a cintura e por toda a largura da cama, fornece um ótimo suporte.
A largura da tábua é especialmenteimportante para evitar perda de força de compressão, por conta do afundamento do colchão, quando o tórax é comprimido.

CONTROLE DE VIAS AÉREAS

Cânula Orofaríngea de Guedel

Equipamento introduzido na boca, por trás da língua, abaixa-se a língua com um abaixador e então, coloca-se a cânula oral posterior à língua, não deve empurrar a língua para trás, pois deste modo obstruí as vias aéreas aoinvés de desimpedi-las. No paciente consciente esta técnica induz a engasgo, vômitos e aspiração.

Cânula Nasofaríngea

Um tipo de material introduzido em uma das narinas e posicionado na orofaringe posterior. Deve ser bem lubrificada e, então, introduzida naquela narina que aparentemente não esteja obstruída, encontrando obstáculo durante a introdução o procedimento deve ser interrompido.Equipamento de Intubação Endotraqueal

A intubação endotraqueal é o procedimento que consiste em colocar um tubo na traquéia quando a pessoa pára de respirar ou não está respirando adequadamente. O tubo permite que o equipamento de respiração artificial assuma a tarefa de respirar pelo paciente.

Laringoscópio

É um instrumento utilizado para o exame da laringe. Na intubaçãoendotraqueal o laringoscópio é utilizado para obter-se uma exposição adequada das cordas vocais facilitando a introdução de um tubo oro traqueal que é utilizado para ventilar o paciente.

Tubo Endotraqueal (6,0 a 9,0)

Procedimento de suporte avançado de vida onde o médico, com a ajuda de um laringoscópio, visualiza a laringe e através dele introduz um tubo na traquéia (tubo endotraqueal).

Sonda deAspiração Traqueal

É indicada a pacientes impossibilitados de eliminar as secreções ou pacientes intubados ou ainda traqueostomizados. Consiste em retirar a secreção traqueobrônquica.

Sonda Nasogástrica

A passagem de sonda gastrointestinal é a inserção de uma sonda plástica ou de borracha, flexível, pela boca ou nariz para: descomprimir o estômago e remover gás e líquidos;...
tracking img