Farmacia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3122 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
APOSTILA
DE
FARMACOLOGIA BÁSICA

Biblioteca Virtual de Farmácia
.www.farma.vai.la.
Todos os direitos reservados ©

1

Farmacologia
Etapas dos estudos de novos fármacos

1 – Estudo pré-comercialização – pré-clínico
2 – Estudos pós- comercialização – clínico (mercado)
1) Pré comercialização
Pré-clínico
- Animais (in vivo ou in vitro)
- Duração - 2 a 3 anos
- Toxicidade
-Efeitos Teratogênicos (Má formação do feto)
- Carcinogenicidade (Desenvolver Câncer)
- Mutagenicidade (Produzir Mutação)
- Farmacodinâmica
- Farmacocinética
Clínico (Teste em Humanos)
Fase I
- Algumas dezenas de pessoas selecionadas
- Duração - 2 a 3 anos
- Testa a segurança da droga
- Voluntários sadios
- Farmacodinâmica
- Farmacovigilância
Fase II
- Voluntários doentes selecionados
-Algumas centenas de pessoas
- Duração - 2 a 3 anos
- Farmacodinâmica
- Farmacovigilância
- Testa a eficácia da droga
Fase III
- Doentes voluntários
- Duração - 2 a 4 anos
- Centenas a milhares de doentes
- Farmacodinâmica
- Farmacovigilância
- Elaboração de regimes posológicos
2

2) Pós-comercialização (Farmacovigilância)
Fase IV - A
- Somente alguns países têm acesso à droga
-Duração - 2 a 3 anos
- Avaliação do impacto do uso do medicamento no período
Fase IV - B
- A droga já está disponível para todos os países, mas depende de vários fatores.
- Lei de patentes
- Duração - ± 4 anos
Fase IV - C
- Permanece o resto da vida
- Identificação de efeitos crônicos na população que utilizou o medicamento por
muito tempo.
Toxicologia – Estuda os efeitos dosmedicamentos em doses elevadas, não
farmacológicas.
Farmacovigilância – É um conjunto de procedimentos utilizados para identificar
os efeitos agudo e crônicos (não esperados e não desejados) de um
medicamento em uma população.
- Analisar efeitos adversos que surgiram após o uso por milhões de pessoas.
- Hipótese de causalidade pode ser possível, provável ou provada
- Reações não descritas pelaliteratura.
- Existem reações adversas tardias.
- Notificação de suspeita de reação adversa – enviada para o centro de
Farmacovigilância.

Divisão dos Medicamentos Quanto a Problemas com a Gestante e o Feto
Os medicamentos dividem-se em A, B, C, D e X.
A – Refere-se a medicamentos e substancias para os quais os estudos
controlados não têm demonstrado risco para o feto, no 1º trimestre degestação possibilidade remota.
B – Prescrição com cautela; efeitos adversos no feto, estudo controlado.
C – Prescrição com risco; efeitos tóxicos e teratogênicos em animais.

3

D – Prescrição de alto risco, fetos de seres humanos já sofreram lesões. Justifica
o risco caso a gestante possa morrer ou perder o bebê, depende da
enfermidade. Exemplo: Diazepan, Captopril.
X – Risco superaqualquer benefício. Evidência de mal formação fetal. Não deve
ser usado mesmo como risco de gestação.
Exemplo: Talidomida, Isotretinoína.
Divisão dos medicamentos quanto ao lactante
O leite pode ser uma das vias de excreção do medicamento.
GRUPO I – Medicamento não passa para o leite materno.
GRUPO II – passa para o leite, mas não parece afetar o lactante quando em
doses terapêuticas.
GRUPO III– Passa para o leite e pode afetar o lactante.
GRUPO IV – Passagem para o leite materno desconhecida (evitar o uso).

FARMACODINÂMICA
I – PRINCÍPIOS GERAIS DA AÇÃO DAS DROGAS
1- Ligação das moléculas da droga às células;
2- Proteínas como alvo de ligação;
3- Substâncias endógenas;
A ligação é fundamental para que o efeito da droga ocorra. Exceções: antiácidos, laxantes osmóticos.
D+RDR

As drogas se ligam às proteínas. Exceções: alguns agentes microbianos atuam
no DNA; alguns anti-humorais também terão o DNA da célula como alvo de
ação.
Proteínas-alvo para ligação das drogas:
Quatro tipos de proteínas reguladoras estão comumente envolvidas como alvos
primários das drogas

4

- Receptores (proteínas de membranas);
- Enzimas;
- Canais iônicos;
- Moléculas...
tracking img