Faramacia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2866 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
BACTÉRIAS

RESISTÊNCIA bacteriana

Pela estagiária de Jornalismo Fabiana Vasconcelos, sob a coordenação, co-redação e edição do jornalista Aloísio Brandão, editor desta revista.

Cresce a resistência de bactérias até aos mais potentes antibióticos, como a vancomicina. O fato preocupa a OMS e cientistas, pois expõe as populações do mundo inteiro ao perigo de pandemias. Há caso de drogassuperpoderosas que sequer chegaram às farmácias e já estão defasadas, diante da resistência dos microrganismos.

A Organização Mundial de Saúde anunciou recentemente a intenção de adotar uma política de criação, pelo mundo afora, de laboratórios de grande tecnologia e alta segurança. A finalidade: investigar doenças com alto poder de letalidade, que também sejam candidatas a causadoras de pandemias.A idéia de catástrofes biológicas tem estado relacionada a doenças descobertas, recentemente. Elas carregam uma aura de medo e suscitam dúvidas. Muitas vezes, o perigo está mais perto do que se imagina. Só no Brasil, foram descobertas duas linhagens de bactérias capazes de provocar grandes estragos. Uma delas, uma cepa da bactéria enterococo, adquiriu resistência à vancomicina, o antibiótico maispotente, até o momento, e última opção de combate a esse microrganismo. Pior ainda é que, surpreendentemente, essa cepa do enterococo, batizada pelos cientistas de VanA, resistiu até a uma nova droga produzida

para derrotá-la e que nem sequer foi lançada ao mercado farmacêutico. Ou seja, o fármaco, que nem ganhou um nome de marca, ficou defasado, antes mesmo de chegar às farmácias. O outrocaso brasileiro diz respeito a uma cepa do Staphylococcus aureus, bactéria causadora de inúmeras infecções hospitalares, também resistente à vancomicina e que nunca havia sido identificada, na América Latina. Em âmbito mundial, preocupa a tuberculose, doença relacionada a milhares de mortes, no passado, que volta a assustar, no presente. Um presente, aliás, pródigo em avanços científicos na área dasaúde. Na verdade, todas essas bactérias sempre existiram e continuarão a existir, como também sempre apresentaram mutações e assumiram novas cepas, dizimando populações. Eram os tempos das trevas, quando a ciência sequer engatinhava. E, hoje, com o portentoso e avançadíssimo mundo científico-tecnológico, a
Pharmacia Brasileira - Mai/Jun 2000

5

BACTÉRIAS
humanidade tem mesmo o que temer,diante das velhas bactérias? Esgotaram-se as possibilidades antibacterianas? Uma simples lavagem de mão, por parte dos profissionais de saúde que lidam diretamente com o paciente hospitalizado, não ajudaria a resolver o problema? Não estaria havendo um abuso na prescrição de antibióticos? A revista PHARMACIA BRASILEIRA procura responder a estas e outras perguntas, no decorrer desta série dematérias. Esse conjunto de textos ganha importância especial, com o artigo assinado por algumas das maiores autoridades brasileiras no assunto. São eles a professora doutora Elsa M. Mamizuka (farmacêutica), docente da disciplina de Microbiologia Clínica da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP) e coordenadora do projeto de pesquisa de bactérias resistentes à vancomicina (oprojeto é desenvolvido na USP); a médica infectologista Adriana Macedo Dell’Áquila, integrante do grupo de pesquisadores de microbiologia, na USP; e o pesquisador e doutorando da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, Geraldo Aléssio de Oliveira (farmacêutico). Eles escreveram, a três mãos, o artigo “Isolamento de cepas de Staphylococcus aureus com sensibilidade reduzida à vancomicina emhospital brasileiro”, a convite do editor da PHARMACIA BRASILEIRA, Aloísio Brandão.

O desafiador enterococo
A indústria farmacêutica vai precisar de mais pesquisas e tempo para combater a Van-A, uma cepa da bactéria enterococo multirresistente, portadora de gene de resistência à vancomicina, que pode ser mortal. Cientistas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) concluíram que uma nova...
tracking img