Existencialismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1245 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE GURUPI
CURSO DE AGRONOMIA

O EXISTENCIALISMO

Rubson da Costa Leite
Victor Queiroz
Wagnel Martins


Gurupi
Fevereiro/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE GURUPI
CURSO DE AGRONOMIA

OEXISTENCIALISMO

Trabalho apresentado à disciplina de Filosofia da ciência e ética ministrada pela docente Lina Maria, como requisito parcial de nota.

Gurupi
Fevereiro/2013
OEXISTENCIALISMO

1. Introdução
O presente trabalho tem como objetivo esclarecer e levar ao leitor as características e o conceito do existencialismo, que será a corrente filosófica que estará abordada no presente trabalho. Buscando citar seus pontos mais relevantes, seus principais representantes e quais suas contribuições para o fortalecimento dessa corrente filosófica.
O existencialismo é umadas mais importantes vertentes do pensamento filosófico do século XX. E um dos movimentos mais impactantes da contemporaneidade. Trata-se de ideais de liberdade, relacionados como lutas de diversos tipos, como a revolução de costumes, revolução sexual, movimento feminista e o combate a diversas formas, particularmente nas décadas de 50 a 70. O movimento foi tão repercutido que virou moda asatitudes existencialistas. E fez com que alguns representantes do pensamento interpretassem como uma “filosofia existencial”.
2. Principal conceito e características do Existencialismo
Tido seu inicio no século XIX, Com as ideias do filósofo dinamarquês Kierkegaard, esta corrente filosófica teve seu auge na década de 50, com os trabalhos dos filósofos Heidegger e Jean-Paul Sartre.“O existencialismo pressupõe que a vida seja uma jornada de aquisição gradual de conhecimento sobre a essência do ser, por esta razão ela seria mais importante que a substância humana. Seus seguidores não creem, assim, que o homem tenha sido criado com um propósito determinado, mas sim que ele se construa à medida que percorre sua caminhada existencial. Portanto, não é possível alcançar o porquê de tudo que ocorre naesfera em que vivemos, pois não se pode racionalizar o mundo como nós o percebemos. Esta visão dá margem a uma angústia existencial diante do que não se pode compreender e conceder um sentido. Resta a liberdade humana, característica básica do Existencialismo, a qual não se pode negar” Santana (2013).
Ainda de Acordo com Santana (2013) ressalta que
“Para os existencialistas, a existência temprioridade sobre a essência humana, portanto o homem existe independente de qualquer definição pré-estabelecida sobre seu ser. Assim, não há uma inquietação relativa aos postulados produzidos pela Ciência ou às especulações metafísicas, e sim no que se refere ao sentido da existência. Daí a predominância de elementos da Fenomenologia de Husserl – movimento que procura compreender os fenômenos taiscomo eles parecem ser, sem depender do real conhecimento de sua natureza essencial – nesta corrente filosófica, já que ambas privilegiam a vivência subjetiva em detrimento da realidade objetiva.”
Como principal característica do existencialismo, temos a liberdade que segundo Kierkegaard “gera no homem a angústia que pode levá-lo, de várias formas, ao desespero Então, cada decisão é um risco, o quedeixa a pessoa mergulhada na incerteza, pressionada por uma decisão que se torna angustiante”.
Já para Heidegger “A angustia tem origem diversa da liberdade. Para ele a angústia resulta da falta da precariedade da base da existência humana”.
3. Principais Filósofos do Existencialismo
De acordo com Cobra (2001) “Heidegger e Sartre foram os dois mais importantes filósofos da corrente...
tracking img