Exemplo pip

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1045 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Alimentação dos 0 aos 2 anos

Fevereiro 2008


















































Índice


Introdução........................................................................................................................2
Regulamento daFormação.............................................................................................4
Cronograma do Curso.....................................................................................................5
Plano de Formação..........................................................................................................6



Anexos




Anexo I – Certificado da Formação
Anexo II – Grelha de avaliação da acção pelos formandos
Anexo III –Grelha de avaliação do módulo pelo formador
Anexo IV – Grelha de avaliação dos formandos
Anexo V – Folha de presenças
Anexo VI – Folha de sumário
Anexo VII – Folha de justificação de faltas
Anexo VIII – Folha de requisição de material
















Introdução

A História determina que com o passar do tempo a alimentação tem sido uma preocupação do Homem noMundo, todavia devemo-nos perguntar até que ponto essa preocupação leva o Homem a reflectir efectivamente sobre esta matéria. Talvez devamos começar pelo principio…. A criança é amamentada? Será este o alimento mais importante de toda a vida? Qual o impacto que o leite materno tem no organismo e no desenvolvimento do ser humano? E depois o que acontece? Como e quando a criança come o que osadultos servem nas suas mesas?
A base da alimentação de um bebe deve ser sempre o leite materno, contudo cada vez mais percebemos que esta base o deixa de ser cedo de mais. Este acontecimento poderá ser justificado ao nível social, cultural, emocional, entre outros, porém, uma grande percentagem de mães abdica de uma fase fundamental no desenvolvimento dos laços afectivos com o bebe por falta deinformação mas fundamentalmente por falta de sensibilização.
Sensibilizar para o desfrutar do contacto físico constante com o bebe pode ser o princípio de uma preocupação mais efectiva de todos os momentos de alimentação seguintes que não são menos importantes. Uma transição alimentar deficitária ou apressada pode dar origem a distúrbios alimentares graves quer na infância, quer mais tarde,na idade adulta. É primordial que todos tenhamos consciência da importância desta fase (dos 0 aos 2 anos) também ao nível da alimentação. É nesta fase que a criança conhece os alimentos, a sua forma, odor, textura e paladar permitindo-lhe a partir desse momento criar hábitos alimentares saudáveis ou não. Quanto mais o Homem conhece o mundo melhor se movimenta nele, com a alimentação acontece omesmo. Quanto mais variada e rica for a alimentação desde o primeiro momento, maior será a harmonia de relação estabelecida pela criança (mais tarde adulto) como o organismo e com o mundo.
Dependendo do nível de desenvolvimento em que a criança se encontra assim são as necessidades alimentares que esta manifesta. Esta formação pretende promover bons hábitos alimentares mediante asnecessidades da criança não querendo de forma alguma substituir uma boa conversa com o pediatra ou médico de família. As indicações dadas pelo médico são fundamentais na medida em que este conhece cada criança especificamente, podendo adaptar as “normas” às características individuais de cada uma.
Pretende-se que esta formação aumente a curiosidade no domínio da alimentação dos pais e/ou futuros pais,Educadores de Infância, Cozinheiras e Auxiliares de cozinha que desempenhem funções em Creche, no sentido de juntos possibilitarem à criança experiências alimentares enriquecedoras quer ao nível fisiológico, quer no âmbito do desenvolvimento emocional, social, ou seja, global.









































Regulamento da Formação



I -...
tracking img