Ex-presidiário no mercado de trabalho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4249 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A luta de ex-presidiários que tentam voltar ao mercado de trabalho
A maior dificuldade para quem está preso é conseguir uma oportunidade no mercado de trabalho, o preconceito impede o egresso de voltar à convivência social. Com o programa de Reintegração Social, as esperanças e oportunidades voltam a aparecer.
O programa de Reintegração Social de egresso prisional responde a uma determinação dalei de execução penal, e o estado é o responsável por cumprir essa função. Esse processo surgiu em 2004 e, atualmente, existe em 11 municípios.
Na unidade que fica em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte grupos se reúnem para participar de cursos, dinâmicas e discussões em torno dos problemas que atingem quem está saindo do sistema penitenciário.

Preconceito impede areabilitação de ex-presos
Na opinião de 21% dos brasileiros, os ex-presidiários são o grupo que as pessoas menos gostariam de encontrar ou ver. Eles perdem apenas para os usuários de drogas (35%) e as pessoas que não acreditam em Deus (26%). É o que aponta uma pesquisa publicada em fevereiro, pela Fundação Perseu Abramo.
O preconceito contra ex-presidiários aparece como o segundo maior quando osentrevistados manifestaram sua aversão de maneira espontânea. Em pergunta não estimulada, o grupo apontado como mais repulsivo foi o de portadores de vício (15%), seguido de perto por pessoas que cometeram delitos (10%).
Os ex-presidiários despertam repulsa ou ódio em 5% dos brasileiros, antipatia em 16% e recebem a indiferença de 56% dos entrevistados. O levantamento foi realizado em 2.014domicílios de 150 municípios de pequeno, médio e grande porte, em todas as regiões do País e com pessoas maiores de 16 anos.
Os resultados da pesquisa podem ser comprovados em Maringá. De acordo com a promotora da Vara de Execuções Penais (VEP), Valéria Seyr, depois de cumprir pena em presídios, dificilmente a pessoa consegue entrar no mercado de trabalho. Acompanhamos essa situação todas as semanas: oex-presidiário vem ao cartório para retirar a certidão de antecedentes criminais e, ao apresentar o documento para o empregador, é rejeitado para o trabalho, afirma Valéria.
Família e amigos
A promotora comenta que as exceções são familiares e amigos que, na condição de empresário, contratam o ex-presidiário. Na maior parte dos casos, essas pessoas estão na informalidade, muitas vezestrabalhando sem nenhuma segurança, ressalta a promotora. Ao buscar a certidão negativa no Fórum que, na verdade, aparecerá positiva por causa do delito cometido os egressos do sistema prisional pedem para que o crime não seja revelado. Infelizmente, temos que informar que houve o delito, mesmo sabendo que as portas vão se fechar para aquela pessoa comenta Valéria.

Círculo vicioso
Sem oportunidade nomercado de trabalho, o ex-presidiário perde opções de subsistência e enxerga no crime uma das poucas alternativas para continuar se mantendo. O preconceito da sociedade contra as pessoas que cometeram delitos acaba estimulando a criminalidade.

Para a promotora, a situação é agravada pelo fato do detento não receber estudo e qualificação enquanto cumpre pena. Ao sair, além de serem rejeitadospelos crimes que cometeram a maior parte dos egressos de presídios não têm preparo para conseguir empregos estáveis. Valéria conta que existem projetos legislativos para que as empresas que contratarem ex-presidiários possa abater impostos. Outra solução possível é a adoção de cotas, a exemplo das existentes para pessoas com deficiência física.

As vantagens econômicas e sociais na contratação deex-detentos para diminuir a reincidência criminal no Brasil.

A-)Uma alternativa viável
Para enfrentar uma das principais causas da reincidência criminal, a Prefeitura de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo, decidiu facilitar o acesso de ex-presidiários ao mercado de trabalho.
Um convênio assinado, com a Fundação Professor Doutor Manoel Pedro Pimentel de Amparo ao Preso permitirá a...
tracking img