Eutanásia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7236 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE CATÓLICA DO SALVADOR



SERVIÇO SOCIAL

EUTANÁSIA





SALVADOR
2012

UNIVERSIDADE CATÓLICA DO SALVADOR



LUANA VASCONCELOS
MAGDA SANTANA
VIVIANE OLIVEIRA
VIVIANE ROCHA

EUTANÁSIA


Trabalho em grupo apresentado na UCSAL, no campus Federação comoavaliação parcial – 2ª unidade na disciplina de Filosofia, do curso de Serviço Social, turno Noturno sob a orientação do Prof.º Rosival Carvalho

SALVADOR
2012
SUMÁRIO

1. Eutanásia
2. Argumentos a cerca da Eutanásia
2.1 Argumentos da doutrina cristã
2.2 Argumentos a favor
2.3 Argumentos Contra
3. Perspectivas
4. Família e sociedade
5. A óptica da enfermagem
6. Legislação
6.1 -Repúblicas Portuguesa
6.2 - Repúblicas Federativas do Brasil

7. Casos celebres de prática de Eutanásia
8. Notas e referências












1. Eutanásia

A palavra vem do grego (Eu: “bem, bom, belo”; Thanatos: "morte") é a prática pela qual se abrevia a vida de um enfermo incurável de maneira controlada e assistida por um especialista.
A eutanásia representaatualmente uma complicada questão de bioética e biodireito, pois enquanto o Estado tem como princípio a proteção da vida dos seus cidadãos, existem aqueles que, devido ao seu estado precário de saúde, desejam dar um fim ao seu sofrimento antecipando a morte.
Independentemente da forma de eutanásia praticada, seja ela legalizada ou não (tanto em Portugal como no Brasil esta prática é consideradailegal), ela é considerada um assunto controverso, existindo sempre prós e contras – teorias eventualmente mutáveis com o tempo e a evolução da sociedade, tendo sempre em conta o valor de uma vida humana. Sendo eutanásia um conceito muito vasto, distinguem-se aqui os vários tipos e valores intrinsecamente associados: eutanásia, distanásia, ortotanásia, a própria morte e a dignidade humana.
Em primeirolugar, é importante ressaltar que a eutanásia pode ser dividida em dois grupos: a "eutanásia ativa" e a "eutanásia passiva". Embora existam duas "classificações" possíveis, a eutanásia em si consiste no ato de facultar a morte sem sofrimento a um indivíduo cujo estado de doença é crônico e, portanto, incurável, normalmente associado a um imenso sofrimento físico e psíquico.
A "eutanásia ativa"conta com o traçado de ações que têm por objetivo pôr término à vida, na medida em que é planeada e negociada entre o doente e o profissional que vai levar e a termo o ato.
A "eutanásia passiva" por sua vez, não provoca deliberadamente a morte, no entanto, com o passar do tempo, conjuntamente com a interrupção de todos e quaisquer cuidados médicos, farmacológicos ou outros, o doente acaba porfalecer. São cessadas todas e quaisquer ações que tenham por fim prolongar a vida. Não há por isso um ato que provoque a morte (tal como na eutanásia ativa), mas também não há nenhum que a impeça (como na distanásia).
É relevante distinguir eutanásia de "suicídio assistido", na medida em que na primeira é uma terceira pessoa que executa, e no segundo é o próprio doente que provoca o seu morte, aindaque para isso disponha da ajuda de terceiros.
Etimologicamente, distanásia é o oposto de eutanásia. A distanásia defende que devem ser utilizadas todas as possibilidades para prolongar a vida de um ser humano, ainda que a cura não seja uma possibilidade e o sofrimento se torne demasiadamente penoso.

(Uma máquina de Eutanásia)

2. Argumentos a cerca da Eutanásia

2.1 – Argumentos da doutrinacristã
A doutrina social da igreja na qual a questão da eutanásia se insere, inspira-se no Evangelho e tem como objetivo primário a dignidade pessoal da vida humana, imagem de Deus e salvaguarda dos seus direitos inalienáveis. A missão evangelizadora da Igreja desde sempre se preocupou com as consequências dos problemas sociais da descristianização da sociedade e no esquecimento dos valores...
tracking img