Etnomatematica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3816 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
PAULO DE TARSO GONÇALVES CHAVES
MATRICULA - 200801086021
[pic]

Curso de Matemática

PAULO DE TARSO GONÇALVES CHAVES

TRABALHO SOBRE ETNOMATEMÁTICA

RIO DE JANEIRO, 2008.

PAULO DE TARSO GONÇALVES CHAVES
MATRICULA - 200801086021

ETNOMATEMÁTICA

Trabalho da Disciplina de Didática da Matemática, sobreEtnomatemática, do Curso de Graduação de Matemática,
da Universidade Estácio de Sá, no Campi “Madureira”,
apresentado ao Professor Wladimir Leonel.

RIO DE JANEIRO, 2008.

SÍNTESE

Nosso objetivo é fazer uma breve exposição dasprincipais idéias em Etnomatemática que surgiram ao longo de sua história, e procurar visualizar quais podem ser suas aplicações na Educação, ressaltando seu caráter transdisciplinar, assim como na valorização e manutenção de tradições culturais.

O MULTICULTURALISMO E A ETNOCIÊNCIA

Estudando a História das Ciências podemos observar uma total desvalorização das culturas e produçõesnão ocidentais, onde a equivalência entre as sentenças: ciência e ocidente é a única verdade aceitável.

Desta maneira, toda e qualquer produção não eurocentrista, ou influenciada por esta, pode no máximo, estar num processo de evolução para o status de Ciência.

Infelizmente, por muitos séculos esta foi a idéia que reinou no meio científico, desconsiderando as produçõesorientais, e dos grupos nativos das terras colonizadas, produções estas que são datadas de antes mesmo do estabelecimento do Império Centro-Europeu.

A partir de meados do século passado, com as profundas transformações nos sistemas de comunicação, de informatização e de produção, como causas e resultados da globalização, tem havido um repensar em muitos conceitos já fechados há séculos.Graças a este repensar, a idéia principal hoje, é questionar de forma séria, e livre de medos e pré-conceitos, todos esses dogmas que temos a respeito de Homem, Sociedade, Cultura e Educação.

A partir destes questionamentos iniciou-se um processo de reconhecimento e valorização de outras culturas, procurando-se estudar os processos de geração e troca de conhecimento.O mais importante é que houve o reconhecimento pela maior parte dos estudiosos em Homem, Sociedade, Cultura e Educação, que de alguma forma, todas as culturas se influenciam, até mesmo aquelas que já foram extintas nos processos de colonização deixaram alguma marca na cultura de seus colonizadores.

Este reconhecimento de que todas as culturas são igualmente importantes, que seinfluenciam mutuamente, e que uma não deve sobrepor outra, mas sim aproveitar o seu melhor, é o que se entende por Multiculturalismo.

Neste contexto multicultural as pesquisas antropológicas têm papel primordial já que revelam aspectos de produção científica nas culturas dos povos então colonizados, tão ignorados pela Ciência.

D’Ambrósio (1998) define Ciência como um corpus deconhecimentos, organizados e hierarquizados de acordo com uma graduação de complexidade e de generalidade, elaborados pelo homem na sua ânsia de desvendar a ordem cósmica e natural e de esclarecer o comportamento físico, emocional e psíquico do indivíduo e de outros: conhecer-me e conhecer-te.

De acordo com esta definição, temos que todas as culturas/sociedades/classes profissionais, gruposidentificáveis de forma mais geral, possuem a sua Ciência, ou melhor, sua Etnociência, que segundo D’Ambrósio (1977) devota o estudo dos fenômenos científicos e, por extensão, tecnológicos numa relação direta com a formação social, econômica e cultural. (Vale ressaltar que o conceito de Etnociência utilizado nas ciências humanas e sociais é bem menos abrangente que o utilizado por D’Ambrósio.)...
tracking img