Etnias no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2616 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1. Identificação
Unidade V; Cap 21 – População brasileira: diversidade étnica e o mito da “democracia racial”.
2. Resumo por tópicos
2.1 A diversidade étnica e a questão racial
* A população brasileira é formada por três tipos étnicos básicos: os indígenas, o branco e o negro africano.
* No atual século, mais um grupo étnico veio participar da formação da população brasileira: osasiáticos, representados principalmente pelos japoneses, chineses e coreanos.
* A miscigenação desses grupos étnicos deu origem a diversos grupos mestiços ou a uma diversidade étnica.
* Etnia corresponde a um agrupamento humano cuja unidade repousa na comunhão de língua, cultura, e de consciência grupal.
* Podem existir numa etnia, traços físicos comuns, mas não são eles que a defineme sim o sentimento de pertencer ao agrupamento ou comunidade.
* O termo raça, largamente utilizado no passado, é hoje considerado impróprio, pois a ciência já constatou que no sentido biológico, não existe raça.
* Durante muito tempo usou-se a miscigenação, o cruzamento entre grupos étnicos para se afirmar que no Brasil sempre existiu uma “democracia racial”.
* O mito da democraciaracial procurou disfarçar o preconceito de cor, em relação ao indígena, ao mestiço ou mulato, e também o preconceito social determinado pela renda e pelo status social.
* No final do século XIX, prolongando-se até meados do século XX, imperava a ideologia racista, fruto inclusive da ideologia imperialista reinante.
* Dentro das ciências sociais e humanas desenvolveram-se escolas ou teoriasque procuravam explicar as diferenças de desenvolvimento entre os povos a partir da diferença de raças e das diferenças geográficas.
* Neste último caso, as diferenças de desenvolvimento entre os povos eram explicadas pelas condições naturais ou físicas dos lugares, preponderando o clima. Essa escola geográfica ficou conhecida como determinista e seu conceito básico, como determinismogeográfico.
* A antropologia e outras ciências sociais que surgiram no final do século XIX e início do XX revestiam-se de um caráter ideológico que chegava a atingir pontos extremados de explicação dos fatos sociais, tendo por base, no caso da antropologia, a raça.
* Certas escolas antropológicas colocaram-se assim, ao lado de outras áreas do conhecimento humano, a serviço da classe dominante.Produziram um “saber” que atendia plenamente a seus interesses.
* O desenvolvimento econômico desigual entre os povos era explicado, por algumas correntes de pensamento, pelas diferenças raciais. Segundo a concepção dessas correntes, as “raças superiores” é que levavam ao progresso e à civilização.
* Mascarados por esse tipo de ideologia escondiam-se grandes interesses econômicos, de dominaçãoespacial, social e política. O imperialismo europeu que se debruçou sobre a África e a Ásia é um exemplo disso.
* O desenvolvimento de alguns povos se fez à custa da exploração e do subdesenvolvimento de outros.
* Em 1869, o Conde de Gobineau, que se dedicava a estudos “antropológicos”, esteve no Brasil, e chegou a ponto de afirmar que no prazo de duzentos anos, ocorreria uma degeneraçãogenética no país em decorrência da mestiçagem.
* As ideias racistas propagadas por autores famosos mundialmente influenciaram muitas pessoas, inclusive vários intelectuais brasileiros.
* Cristalizou-se assim, na sociedade brasileira, através de pseudoexplicações científicas, o preconceito racial, que vem até os nossos dias.

3.2 Os grupos brancos formadores da população brasileira* O elemento branco que participou da formação da população brasileira é originário de vários grupos étnicos, mas foi da Europa que veio a maior parte desse grupo, podendo-se destacar:
- os atlanto-mediterrâneos, grupo cujo forma a maior parte da população brasileira e é representado pelos portugueses, italianos, espanhóis e franceses;

- os germanos ou teutões, representados pelos...
tracking img