Etica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1137 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ÉTICA PROFISSIONAL

MORAL é a reflexão do indivíduo com ele mesmo;
ÉTICA é a crítica dos valores de uma sociedade, é teórica.

- O que é Ética?
* Ramo da Filosofia Prática (estuda a ação moral humana).
* Estuda a ação humana englobando a totalidade do saber e da cultura humana (cotidiano - decisões familiares, políticas, trabalho etc).

- Origem
* ‘ETHOS’ (grego) - “hábito”,"bom costume", "costume superior" ou "portador de caráter".
* "MOR-MORUS" (tradução do termo em Roma) - "costume mor" ou "costume superior". Origem da palavra "moral" em português.

- Distinção entre MORAL e ÉTICA (quase SINÔNIMOS)
* Adolfo Sánches Vásquez (filósofo espanhol, século XX), diz que:
* Moral: se refere a uma reflexão que a pessoa faz de sua própria ação, ou seja, uma autoreflexão, um debate interno para decidir sua ação, perspectiva individual.
* Ética: abrange o estudo dos discursos morais, bem como os critérios de escolha para valorar e padronizar as condutas com uma perspectiva social.

- Definição do agir ético
* Pluralidade.
* Disputa social pela definição legítima da boa conduta entre diferentes grupos/tribos, avaliada por pontos de vistatotalmente diversos.
* Requisitos do agir ético:
1. Conduta livre e autônoma: consciência do agente. Bittar fala de não gerar responsabilidade ética quando a conduta não for livre e autônoma.
2. Dirigida pela convicção pessoal: decisão precisa ser individual, o que não quer dizer imune a influências.
3. Insuscetível à coerção: ação tomada sem temor da pena ou insensível ao estímulo.- Breve apanhado histórico:

- Aristóteles (384 a.C. - 322 a.C.) "Ética a Nicômacos"

“A excelência moral se relaciona com as emoções e ações, e somente as emoções e ações voluntárias são louvadas e censuradas, enquanto as involuntárias são perdoadas, e às vezes inspiram piedade; logo, a distinção entre o voluntário e o involuntário parece necessária aos estudiosos da natureza da excelênciamoral, e será útil também aos legisladores com vistas à atribuição de honrarias e à aplicação de punições”.

* O fim da ação humana seria a FELICIDADE, portanto, se trata de ética TELEOLÓGICA (finalidade/consequencialista).
* Desenvolveu modo de apurar eticidade das condutas, conhecida como ÉTICA DO MEIO-TERMO, onde as ações devem distar dos vícios pelo excesso ou por defeito.
*CONCEITO ARISTÓTELICO DE HOMEM: animal político sociável, projetado naturalmente para estabelecer relações.
* CRITÉRIO DE VALORAÇÃO DE CONDUTA: a ética é valorada pela sua finalidade (felicidade) e não pelo que alcança.
* FELICIDADE = bem comum (não existe felicidade sem o bem comum, visto que o homem é um ser sociável e precisa compartilhar). Não se trata de um conceito egoístico, pois afelicidade não se confunde com os prazeres individuais.
* MEIO TERMO: o bem comum é alcançado através da virtude, ou seja, por ações virtuosas.

FALTA (VÍCIO) - COVARDIA
VIRTUDE - CORAGEM
EXCESSO (VÍCIO) - TEMERIDADE

- Immanuel Kant (1724-1804) "Fundamentação da Metafísica dos Costumes"

“Uma vez que despojei a vontade de todos os estímulos que lhe poderiamadvir da obediência a qualquer lei, nada mais resta do que a conformidade a uma lei universal das ações em geral que possam servir de único princípio à vontade, isto é: DEVO PROCEDER SEMPRE DA MESMA MANEIRA QUE EU POSSA QUERER TAMBÉM QUE A MINHA MÁXIMA SE TORNE UMA LEI UNIVERSAL. Aqui é, pois a simples conformidade a lei em geral, o que serve de princípio à vontade, o também o que tem de lheservir de princípio, para que o dever não seja por toda parte uma vã ilusão e um conceito quimérico; e com isto está perfeitamente de acordo com a comum ação humana nos seus juízos práticos e também sempre diante dos olhos este princípio”.

* Para Kant, as ações boas devem ser praticadas independentemente da finalidade ou dos resultados, mas simplesmente pelo fato de que são as corretas....
tracking img