Etica e direitos humanos - slide

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1015 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Desidério Murcho
desiderio@ifac.ufop.br
Universidade Federal de Ouro Preto

1.
2.

Os “valores” são relativos à cultura
Os direitos humanos são universais



1 e 2 são incompatíveis



Não é literatura
 Não visa efeitos estéticos nem a construção de

ficções


Não é religião
 Não se baseia na autoridade, tradição e escritos

considerados sagrados


Não éciência
 Não é constituída por um conjunto enorme de

resultados



A filosofia ocupa-se de problemas de real
interesse cognitivo, apesar de não serem
problemas que tenham resolução científica

PROBLEMAS FILOSÓFICOS





Serão os valores relativos (à
história, às sociedades, aos
indivíduos)?
Será toda a realidade uma
mera ilusão?
Sabemos realmente o que
pensamos que sabemos?PROBLEMAS NÃO FILOSÓFICOS






Diferentes pessoas, em
diferentes momentos da
história e em diferentes
sociedades, têm valores
diferentes?
Algum filósofo defende que
toda a realidade é uma mera
ilusão?
Como explicar os processos
cognitivos que ocorrem no
cérebro de uma pessoa
quando ela conhece algo?

PROBLEMAS FILOSÓFICOS


Não há metodologia
científica paratentar
responder-lhes

PROBLEMAS NÃO FILOSÓFICOS


Só empiricamente (ou
matematicamente) podem
ser adequadamente
estudados

Não se consegue ver como poderão ser
resolvidos recorrendo às metodologias das
ciências empíricas nem formais
 Apesar disso, os problemas da filosofia não
parecem menos reais, nem parecem meras
confusões ou ilusões




Em filosofia dedicamo-nos estudo deproblemas em aberto, que ninguém sabe
como se resolvem

Saber enfrentar problemas em aberto é
crucial para uma democracia saudável
 Pode-se saber muito sobre um problema e
muito ganhar em compreensão, apesar de
não sabermos resolvê-lo


Precisamos de saber pensar claramente e
com discernimento onde as meras receitas
científicas e matemáticas não se aplicam
2. Precisamos de saberdesmontar
preconceitos
 A filosofia ajuda-nos a fazer isso
1.

O relativismo ético é incompatível com a
aceitação da universalidade dos direitos
humanos
2. A ideia de que os valores são relativos
baseia-se em maus argumentos e confusões
3. Pode-se ter uma concepção minimalista da
ética que evite estas confusões
1.



Metaética
 A natureza da própria ética



Éticanormativa
 Qual é o bem último?
 O que faz uma acção ser boa?



Ética aplicada ou prática
 Aborto, animais inumanos, ajudar os pobres, a

guerra

“Ética” vem do grego ethos (costumes,
morada)
 “Moral” vem do latim mores (costumes,
morada)
 O termo latino mores é a tradução do termo
grego ethos


As acções são correctas ou incorrectas, e os
estados de coisas são bons oumaus,
relativamente às convicções históricas,
psicológicas, culturais, etc.
 Do ponto de vista do relativismo cultural não
é diferença entre uma população considerar
que um certo comportamento é moral e esse
comportamento ser realmente moral


Quem se opõe ao relativismo cultural não
está obrigado a defender que todos os valores
são absolutos
 Relativismo ≠ contextualismo
 RELATIVISMO




Nunca há diferença entre
considerar-se numa dada
cultura que algo é
moralmente correcto e algo
ser moralmente correcto
Nenhuns direitos humanos
são genuinamente
universais

NEGAÇÃO DO RELATIVISMO




Por vezes é diferente
considerar-se numa dada
cultura que algo é
moralmente correcto e algo
ser moralmente correcto
Alguns direitos humanos
são genuinamenteuniversais

O relativismo cultural é diferente do respeito
pela diversidade cultural
 Defender o respeito pelas culturas alheias não
exige a defesa do relativismo cultural




É incoerente
 Usa a tese de que todos os valores são relativos

para defender a universalidade do valor do
respeito pelas culturas alheias


É simplista
 Não distingue os costumes com relevância...
tracking img