Etica e deontologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3303 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO




Este trabalho foi efectuado no âmbito da disciplina de Ética e Deontologia do 3º ano do curso de Contabilidade e Auditoria do ramo de Auditoria e Controlo de Gestão.

Pretendemos dar a conhecer o Papel da Ética na Contabilidade, papel esse que é cada vez mais importante na nossa sociedade. É através da ética que os Técnicos Oficiais de Contas conseguem resolverdeterminados problemas, vendo-se consecutivamente envolvidos e dos quais são acusados, tais como: facilitar o exercício da profissão a subordinados não habilitados; manipular fraudulentamente as Demonstrações Financeiras com o fim de favorecer a si mesmo ou aos seus clientes; etc…

Contudo, o objectivo deste trabalho é dar a conhecer os Princípios e a Conduta Ética dos Técnicos Oficiais de Contas, assimcomo as Responsabilidades Profissionais dos mesmos.



























BREVE ABORDAGEM DO COMPORTAMENTO ÉTICO EM CONTABILIDADE



Os Contabilistas detêm grandes responsabilidades éticas, não só relativamente a nível da profissão, mas também a nível dos clientes, da família e de si próprio.

Com efeito, devem procurar fazer o seu trabalho tal qual seespera que o façam, ou seja, “ser Contabilista implica assumir um dever de verdade ”.

No entanto, a profissão de contabilista nem sempre é fácil e está sujeita a vários problemas.
Sendo assim, temos aqui alguns exemplos:

- Facilitar o exercício da profissão a subordinados não habilitados;
- Adulterar ou manipular fraudulentamente as Demonstrações Financeiras com o fim de favorecer asi mesmo ou clientes, em detrimento ao fisco;
- Elaborar Demonstrações Financeiras sem observar o estabelecido no Plano Oficial de Contabilidade e em toda a legislação vigente complementar;
- Manipular superiores hierárquicos, devido a possuírem informação interna privilegiada e supostamente comprometedora;
- Ceder a pressões vindas de superiores hierárquicos ou de colegas de outrasprofissões (auditores, consultores, etc…) com receio de represálias a nível pessoal ou profissional;
- Assinar documentos ou peças contabilísticas elaboradas por outrem, sem a sua orientação e supervisão;
- Receber contrapartidas financeiras por efectuar “engenharias” numéricas nas Demonstrações Financeiras;
- Não guardar sigilo profissional sobre factos e documentos decorrentes do exercícioda sua actividade,
- Não zelar pelo prestígio da classe, da dignidade profissional e pelo seu aperfeiçoamento;
- etc…

Hoje em dia, poderemos verificar ainda o problema da integridade dos contabilistas e de algumas organizações, ou seja, todos os dias aparecem na comunicação social escândalos fiscais.


Foi tendo consciência destes problemas, que surgiu a Lei de Sarbanes-Oxley de2002, que acabou por reescrever todas as regras relativas à governação das empresas (Corporate Governance), nomeadamente na divulgação e na emissão de relatórios financeiros.












Sendo assim, podemos dizer que a lei é bastante importante mas não se pode descurar a ética, ou seja, para uma boa governação das empresas temos que ter sempre em conta dois elementos paralelos desalvaguarda dos direitos dos investidores:
- Os mecanismos eficazes e vigorosos da defesa do interesse dos accionistas de modo a impedir que os gestores se apropriem das empresas;
- Naquelas em que têm um controlo maioritário ou um accionista dominante, os interesses dos minoritários têm de ser protegidos.


No nosso país e nas empresas europeias, a tendência normal tem sido a de seescapar ao mercado, ou seja, de se introduzir um conjunto de regras que lhes permita evitar a sanção do mercado, ou de certas limitações (direitos de voto).

Então,

O QUE É A ÉTICA E COMO DEVE SER RECONHECIDA NO MUNDO DA CONTABILIDADE?










PRINCÍPIOS E CONDUTA ÉTICA NA CONTABILIDADE



Hoje e mais do que nunca, os contabilistas têm de procurar exercer a sua actividade tendo...
tracking img