Etica a nicomaco

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1180 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Trabalho de Filosofia
Profes. Verônica





“A Amizade”
Ética a Nicômaco





1º PeríodoDouglas Fabiano
Eliane Lana
Henrique Assis
Pâmela Mayara
Welington Carvalho
WislanQuintão










Introdução



A análise de Aristóteles, no livro Ética a Nicômaco, define como uma virtude necessária à felicidade. O capítulo VIII tratou a amizade de forma abrangente, bem, como os diferentes tipos de amizade, e sua relação com os diferentes regimes políticos. No capítulo IX aborda a natureza da amizade, enfocando as relações amistosas, as diferenças entrebenevolência e amizade, e também, se para o homem feliz é melhor viver em solidão ou com os amigos.
A presente pesquisa tem como proposta geral: conceituar a amizade e discriminar os vários tipos de amizade. Estabelecido o assunto do trabalho, a base da pesquisa, se efetivou a partir da leitura dos Livros VIII e IX da Ética a Nicômaco. Num primeiro momento, foi realizada uma leiturageral da introdução do livro juntamente com os capítulos colocados. Etapa esta, tendo como propósito preliminar, conhecer o conteúdo dos capítulos sobre a amizade. O desenvolvimento de tais ideias, deu-se através da respectiva leitura e síntese dos capítulos, abordando efetivamente a questão da amizade. Na segunda parte, foi realizada uma pesquisa de cunho bibliográfico em busca de autores quetrabalhem à questão da amizade, numa visão moral, mostrando como o homem deve agir: bom para si e outros.


































O CONCEITO DE AMIZADE PARA ARISTÓTELES




Aristóteles, na obra Ética a Nicômaco, discute a cerca da amizade, para ele a amizade é uma forma de excelência moral , sendo extremamente necessária para na vida. Eleclassifica em três os tipos de amizade, sendo elas: por utilidade, por prazer e por excelência (amizade da virtude). Na amizade por excelência, os amigos se amam pela excelência de seu caráter. Enquanto na amizade por utilidade, o amor se faz útil um ao outro e na amizade por prazer, eles se amam porque causam prazer um ao outro. Analisamos a comparação entre elas feita pelo filósofo Aristóteles,percebemos existir nas relações, um objeto em comum manifestado entre as pessoas, verificado nas associações entre pais e filhos, marinheiros e outros. Por essas associações se darem igualmente, é exatamente nesse ponto que a amizade e justiça se afloram. Quando as pessoas são amigas, não precisam de justiça, enquanto mesmo quando são justas elas necessitam de amizade. A relação de amizade é aforma mais autentica de justiça, pois enobrece, não há nada mais nobre que termos amigos. A palavra amizade não se aplica as coisas inanimadas, já que neste caso não existe reciprocidade de afeição, nem o desejo pelo bem de um objeto. Concluímos que a amizade verdadeira é a que existe entre pessoas boas, pois aquilo que é incondicionalmente bom e agradável, nos é estimado. A amizade parece commenor frequência entre pessoas amargas, pois são menos propensa à sociabilidade, característica contraria as causas de amizade. Para Aristóteles, a amizade consiste mais em amar do que ser amado. Entendemos então que o amor é uma emoção e a amizade uma disposição de caráter, desta forma amar parece ser uma característica da excelência moral dos amigos, de tal forma que somente as pessoas em que tais...
tracking img