Estudos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1252 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic] ATIVIDADE ACADÊMICA: Noções Básicas de Linguística
Nome: Julia Becker e Renata Stiehl da Rosa
Turma: 23
Data: 08/10/2012

TRABALHO EM DUPLA SOBRE O ARTIGO
“Ensinar x Não ensinar gramática: ainda cabe essa questão?”


1. Ao ler o texto de Faraco (2006), aprendemos que a gramática:
a) Surgiu: Compreende-se que o estudo gramatical seja bastante antigo, uma vezque estudos comprovam que povos babilônicos, hindus e chineses dedicavam-se a esse estudo séculos antes de Cristo. A gramática como nós conhecemos atualmente foi uma criação da cultura greco-romana, cabe salientar que os gregos e os romanos foram povos especialmente apaixonados pelas questões de linguagem. Os estudos primários destes povos foram compartilhados por diferentes tradições, que aotomarem posse destes pensamentos foram interpretando, ampliando e refinando estes estudos (o que tornou difícil uma interpretação dos mesmos).
A política e a jurídica, foram grandes fontes de pesquisa da linguagem devido aos acirrados debates ocorridos principalmente em tempo de democracia ateniense e república romana. Neles os debatentes tinham de bem desenvolver o domínio das habilidades dafala, para defender seus argumentos e vencer os efervescentes debates.
Do estudo desta fonte surgiu a retórica (forma de melhor explorar os recursos expressivos para a conquista do auditório durante os debates), também intrínseco surgiu as questões de estilo e de figura de linguagem.
Próximo a era cristã os gregos (principalmente em Alexandria) junto de sua famosa biblioteca,dedicaram-se ao estudo cuidadoso de produções literárias de seus autores consagrados, faziam isso restaurando e comparando manuscritos antigos com objetivo de dar-lhes uma forma mais canônica. A partir deste tipo de estudo que surgiu a tradição normativa dos estudos da língua, ainda tão forte entre nós.


b) Se desenvolveu: Após a incorporação da Grécia aos domínios romanos (séc. II a.C.), a cultura grega foi fortemente valorizada pela elite romana, que tratou de aprender a língua e a literatura grega, ao unir Alexandria (séc. I a. C.) Roma absorveu também os estudos gramaticais gregos. Os estudos alexandrinos foram fortemente aceitos em Roma, que adotou a concepção normativa e trabalhou no sentido da fixação e do cultivo do latim padrão, neste trabalho os romanos tomaram comoreferência a linguagem dos poetas e prosadores consagrados e dos padrões gregos.
A primeira gramática latina foi criada por Varrão, que seguiu os passos de seu mestre alexandrino Crates de Malos e definiu seus estudos como “a arte de escrever e falar corretamente: e de compreender os poetas”. Assim criou-se a concepção de “pessoa culta” (falar e escrever o mais próximo possível dos autoresconsagrados), ser culto era exclusividade da elite masculina, bem como os assuntos ligados a gramática, que tinha como principal objetivo exercitar as habilidades de falar em público e escrever.
A última gramática produzida pela cultura romana e que continua servindo de modelo até hoje em termos de gramática pedagógica é a criada por Prisciano. Nela apresentam-se três aspectos que resumemas contribuições greco-romanas para a linguagem:
• Constituíram um vocabulário para se falar sobre a língua (o que conhecemos hoje por metalinguagem), que circula até hoje por nós, por exemplo, na organização dos dicionários;
• Formularam grandes perguntas sobre a linguagem humana, muitas das quais continuam bem presentes nas nossas especulações linguísticas e filosóficasmodernas;
• Sistematizaram três grandes direções para o estudo da língua que ainda hje caracterizam alguns dos nossos modelos de investigação da língua.
A esse modelo gramatical, hoje chamamos de gramática tradicional, está na prática congelado desde Prisciano, pois está esgotado como instrumento de geração de novos conhecimentos sobre a língua. Por isso que as gramáticas...
tracking img