Estudo de casos da legislação trabalhista

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 13 (3069 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 15 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE PRESIDENTE ANTONIO CARLOS – FUPAC

Estudo de Casos da Legislação Trabalhista
Prof Wander

Aluno: Áriston Rafael
Ezequiel
Fabrício
João Batista
Tereza Guimarães


Março/2011
Caso 1:

Uma empresa conseguiu reverter a decisão da VT de Monte Dourado, que tinha determinado a reintegração de um empregado, por se tratar de dispensa de empregado portador de deficiência -detentor de garantia de emprego.
A Terceira Turma, para a qual a empresa recorreu, concluiu, em votação majoritária, acompanhar o voto da relatoria do desembargador Mário Leite Soares, o qual acolheu a argumentação da mesma por entender que a lesão sofrida pelo trabalhador não o tornou incapacitado para o trabalho.
Um ex-empregado da empresa havia obtido o direito, após ter ajuizado reclamação naJT da 8ª Região de ser reintegrado ao emprego por ter sido dispensado sem observar a sua condição de portador de deficiência. Segundo ele, tal condição lhe asseguraria a garantia de emprego prevista no Parágrafo 1º, do Art. 93 da Legislação dos benefícios previdenciários, (Lei 8.213 de 1991).
De acordo com este dispositivo, “A dispensa de trabalhador reabilitado ou de deficiente habilitado aofinal de contrato por prazo determinado de mais de 90 (noventa) dias, e a imotivada, no contrato por prazo indeterminado, só poderá ocorrer após a contratação de substituto de condição semelhante”.
Como o trabalhador foi demitido após ter sido vítima de acidente de trabalho, o que ocasionou a perda parcial de seu dedo, ele alegou que não poderia ser demitido em razão de ser detentor de estabilidadeprovisória.
O Juiz da Vara de Monte Dourado deu razão ao autor da ação e ordenou a readmissão dele pela empresa. O magistrado tomou essa decisão por entender haver presunção da condição de portador de deficiência alegada pelo trabalhador, já que a empresa não conseguiu se desincumbir do seu encargo provatório ao não ter apresentado, por ocasião de sua defesa, os documentos indicando a lista detrabalhadores que faziam parte da respectiva cota, bem como não comprovou a contratação de trabalhador em igual condição para substituí-lo.
Ao recorrer da decisão, a empresa sustentou, entre outras coisas, que o Decreto nº 3.298/99, que trata das espécies de deficiência, dentre elas, a física, exclui as deformidades estéticas e as que não acarretam dificuldades para o desempenho das funções de suadefinição.
Assim, a empresa argumentou que a perda de uma falange do dedo, como ocorreu com o autor, não autoriza a sua inserção como empregado portador de deficiência física, até porque, o mesmo continuou trabalhando normalmente após o acidente ocorrido, desempenhando a mesma função antes exercida, não fazendo jus à estabilidade provisória.
Ao analisar o recurso da empresa, o desembargadorrelator, Mário Leite Soares, após o exame dos autos do processo, concluiu por concordar com a tese da recorrente ao verificar que o trabalhador não poderia ser considerado portador de deficiência, já que ele foi acometido de uma anormalidade incapaz de reduzir a sua capacidade laborativa. Portanto, para o magistrado, o autor não poderia ser considerado como pessoa com deficiência, conforme prevê o osarts. 3º e 4º do Decreto nº 3.298/99, que regulamentou a Lei nº 7.853/89, que trata das pessoas portadoras de deficiência.
Segundo este dispositivo legal, somente pode ser considerada deficiência, para os efeitos legais, a anormalidade que gere incapacidade para o desempenho de atividade, além de excluir de seu conceito, as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldades para odesempenho de funções.
Neste sentido, o desembargador destacou, pela análise dos autos, que o acidente sofrido pelo recorrido não trouxe prejuízos para a sua vida profissional, pois sequer houve redução de sua capacidade laboral, tendo o mesmo voltado a exercer a mesma função na reclamada após o acidente, conforme atestado de saúde ocupacional anexado ao processo.
Por fim, o magistrado observou,...
tracking img