Estudo de caso volvo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4058 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Anhanguera - Uniderp



















ESTUDO DE CASO: ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS.
AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA EMPRESA VOLVO

























CAMPINAS
ABRIL
2012
Universidade Anhanguera - Uniderp
















ESTUDO DE CASO: ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS.
AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DAEMPRESA VOLVO




















CAMPINAS
ABRIL
2012
SUMÁRIO





Resumo...............................................................................................................................


Introdução......................................................................................................................11


Capítulo I ConceitosTeóricos da Alfabetização....................................................13






Capítulo II A estruturação para o ensino da língua escrita e lida ...........................17


2-1 O desenvolvimento cognitivo............................................................19


2-2 Processos de leitura e escrita............................................................21





Capítulo III Habilidades Para Aprendizagem de Leitura e Escrita, e as possíveis dificuldades encontradas...........................................................................................26





Considerações Finais.......................................................................................................39Bibliografia......................................................................................................................42


INTRODUÇÃO










1- SISTEMAS DE GRUPO
Hierarquia e Gerência de Controle.

Numa perspectiva histórica a abordagem de sistema de grupo tem por finalidade apresentar algumas características sobre a estrutura e formas práticas de organização com base no desempenho. Estudos sobredinâmica de grupo fazem referência ao modo pelo qual os seres humanos perceberam que certas atividades feitas por um grupo eram mais efetivas, ou seja, trazia mais resultados.
Knowles (1967) aborda essa questão, aponta que a necessidade de formação dos grupos humanos tinha o propósito de sobrevivência numa era de lutas contra inimigos humanos e elementos da natureza, o aspecto da liderança se tratavade um esforço para desenvolver habilidades, ações criativas e cooperatividade. Pouco se estudou sobre o tema até a chegada dos tempos modernos, as literaturas encontradas traziam ideias intuitivas como na obra de Maquiavel, “O Príncipe”.
No século XVIII, correntes de pensamento da Europa e da América sobre as relações entre indivíduo e coletividade serviram de base para a revolta contra atirania. Durkheim, considerado um dos mais influentes, teoriza a interação social com a “síntese psicossocial”. Já no século XX outros pensadores estudaram sobre os elementos de controle social em pequenos grupos. O desenvolvimento da criança pela observação foi outra contribuição importante, análise do pensamento experimental de Dewey, aspecto emocional de Freud.
A Era Moderna é marcada pelocientificismo e literatura técnica, houve aumento de programas de treinamento realizados nos diferentes centros de pesquisas nascentes da época, com variados enfoques no comportamento, análise de fatores, tipos de organizações formais, aspectos sociais da vida de grupo (sociométrico), elementos emocionais, desenvolvimento da personalidade.
Todo e qualquer tipo de grupo ou organização tem por finalidadeproduzir algo, a eficiência é baseada na divisão complexa do trabalho que se erradicou com a Revolução Industrial e substituiu a produção artesanal, ampliou a massificação das linhas de montagem utilizando técnicas de padronização simplificadas em departamentos. Os resultados, de curto prazo (treinamentos), atenderam as expectativas de produção desenfreada e de custos reduzidos. Porém, este...
tracking img