Estudo de caso iam

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5913 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
EXAME FÍSICO REALIZADO NA UDT DO ICDF

























Brasilia
2012

















EXAME FÍSICO REALIZADO NA UDT DO ICDF



























Brasilia
2012
INTRODUÇÃO




Este trabalho tem como objetivo apresentar a elaboração de um estudo de caso clínico, realizado na UDT do Instituto decardiologia do DF, com a finalidade de encontrarmos resultados para o aprendizado do profissional de saúde.
Será obtido, por meio de uma coleta de dados, envolvendo múltiplas fontes de informações de um paciente onde vamos coletar dados a fim de organizar, avaliar a patologia encontrada buscando uma melhor estratégia para solucionar ou reverter os problemas identificados onde vamos abordar o IAMsem supra de ST.
A doença arterial coronariana (DAC) representa a principal causa de óbito no mundo, estando entre as patologias de maior impacto clínico e financeiro. A maioria dos casos de infarto agudo do miocárdio (IAM) é causada pela oclusão de um ramo coronariano principal. A obstrução e consequente redução do fluxo coronariano se devem comumente à ruptura física de uma placaaterosclerótica com subsequente formação de trombo oclusivo, vasoconstrição coronária e micro embolização podem também estar envolvidos neste processo.
A representação clínica da DAC pode ser identificada em suas formas crônica, como a angina estável, e aguda, nas síndromes coronarianas agudas (SCA), com supra ST e sem supra de ST.
O termo SCA é empregado nas situações em que o paciente apresentaevidências clínicas e/ou laboratoriais de isquemia miocárdica aguda, produzida por desequilíbrio entre oferta e demanda de oxigênio para o miocárdio, tendo como causa principal a instabilização de uma placa aterosclerótica.
A SCA se apresenta sob duas formas clínicas: com supradesnivelamento do segmento ST (SCACSSST), ou infarto agudo do miocárdio com supra de ST (IAMCSST), e aquela semsupradesnivelamento do segmento ST (SCASSST). Esta diferenciação é fundamental para o tratamento imediato da SCACSST através da reperfusão miocárdica, seja com trombolíticos ou com angioplastia primária.
A SCASSST se subdivide em angina instável (AI) e infarto agudo do miocárdio sem supradesnivelamento do segmento ST (IAMSSST).
A maioria das mortes por IAM ocorre nas primeiras horas demanifestação da doença, sendo 40 a 65% dos casos na primeira hora e, aproximadamente 80% nas primeiras 24 horas. Assim, é essencial que os pacientes com SCA sejam prontamente atendidos e tratados.


HISTÓRICO


Paciente A.S.F 53 anos, casado, pai de 02 filhos hígidos, natural de Goiânia e há 30 anos no DF, residente no Gama, administrador de empresas, aposentado há 20 anos.Sofreu um AVCi há 20 anos, o qual não ficou com sequelas, há 05 anos foi diagnosticado DM2 e há 06 meses diagnosticado hipotireoidismo. Paciente ex tabagista e ex etilista, fazia uso de bebida alcoólica apenas aos finais de semana, nega HAS, e já realizou cirurgia prévia de fimose.
Filho de mãe cardiopata, sobre seu pai ele o desconhece e sua irmã tem hipotireoidismo.

QUEIXA PRINCIPALApós chegada no ICDF deu entrada na UDT e encaminhado para hemodinâmica para realização de cateterismo (CAT), evidenciou lesão grave em tronco de coronária esquerda.

HISTÓRIA DA DOENÇA ATUAL

Paciente relata que há 02 meses passou a realizar atividade física e que após esse período começou a apresentar muita tosse acompanhada de ardor no peito, sem irradiações e com duração de cercade 20 minutos, a mesma era aliviada após uso de AAS e Digoxina (medicações em uso). Há cerca de 08 dias a queimação se tornou branda porém suportável e o mesmo não procurou atendimento médico. Há 06 dias houve piora da dor, principalmente ao deitar-se durante a noite, o mesmo se levantada e tomava copo de água gelada. Há 04 dias a dor se tornou muito intensa e com irradiação para a região...
tracking img