Estudo de caso em cardiologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2459 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

FACULDADES INTEGRADAS DE PATOS - FIP
PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENFERMAGEM EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA - CAMPINA GRANDE









ESTUDO DE CASO SOBRE INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO


Professor: Glauber Melo de Araújo
Discente:Isabel Cristina Rodrigues CartaxoTurma: EUEA4







Campina Grande, fevereiro de 2013
INTRODUÇÃO

As doenças cardiovasculares (DCV) são a principal causa de morbidade, incapacidade e morte no mundo e no Brasil, sendo responsáveis por 29% das mortes registradas em 2007. Os gastos com internações pelo SUS totalizaram 1,2 milhões em 2009 e, com envelhecimento da população e mudança dos hábitos devida, a prevalência e importância das DCV tende a aumentar nos próximos anos. A Organização Panamericana de Saúde (OPAS) reconhece a necessidade de uma ação integrada contra as DCV e irá propor aos países membros que estabeleçam a meta global de reduzir a taxa de mortalidade por DCV em 20% na década de 2011-2020 em relação à década precedente.
Entre as causas de morte e hospitalização porDCV, destacam-se as síndromes coronarianas aguda (SCA), incluindo o infarto agudo do miocárdio (IAM) e a angina instável (AI). Com os avanços no tratamento da SCA, a mortalidade no IAM nos estudos observacionais caiu de 30% na década de 50 para menos de 5% nos registros mais recentes em países desenvolvidos.
O tratamento moderno do IAM depende do uso de terapias de reperfusão, rápido acessoao serviço médico e uso de medicações específicas com benefício comprovado. Embora a maioria das abordagens indicadas no tratamento do IAM estarem disponíveis no SUS, a mortalidade hospitalar pelo IAM continua elevada, o que exige uma ação integrada do Ministério da Saúde, Sociedades Científicas, gestores estaduais e municipais e hospitais.
Com a constatação de que o IAM podia ser abordadode forma eficaz, desde que o paciente seja atendido e tratado rapidamente, as atenções se voltaram para o fato de que, frequentemente, os pacientes elegíveis não recebiam o tratamento indicado num tempo ótimo. Para que o paciente com IAM recebesse o tratamento de reperfusão no tempo e local adequado, o sistema de saúde precisaria se organizar, para permitir o reconhecimento precoce do IAM comsupra de ST, seu rápido encaminhamento para uma unidade de saúde habilitada ao tratamento e o uso efetivo da terapia de reperfusão nesta unidade de saúde. Estes sistemas de cuidado incluem métodos de telemedicina para diagnóstico eletrocardiográfico precoce e protocolos rígidos de transferência e transporte, existindo diretrizes específicas para sua implantação. O número de vidas perdidas por infartoe a morbidade dos pacientes infartados não reperfundidos, potencialmente evitáveis, foram motivações mais que suficientes para que o problema fosse enfrentado de uma forma sistêmica e não apenas focal. Tais tentativas de organização interinstitucional do tratamento do IAM ocorreram inicialmente na Europa e nos Estados Unidos, mas rapidamente se espalharam pelo mundo, existindo hoje diretrizesinternacionais sobre o assunto. Para a implantação da Linha do Cuidado do IAM, é necessária a integração de todas as Unidades de Saúde da Rede de Atenção às Urgências envolvidas com o atendimento deste perfil de paciente.




























RELATO DE CASO

Identificação: S.M., 41 anos, sexo masculino, branco, casado, administrador de empresa.
Queixa Principal:“Dor no peito”.
HPMA: Paciente deu entrada no Pronto Atendimento referindo dor precordial, constritiva, iniciada há seis horas. A dor era de moderada intensidade, precipitada durante o repouso, sem irradiação, não acompanhada de náusea ou sudorese. Dois dias antes apresentara quadro clínico semelhante, acompanhado de congestão de vias aéreas superiores. Na noite anterior ao atendimento também...
tracking img