Estudo da fadiga dos metais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5327 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
http://welcome.to/LabMat-FEI

LabMat
FEI FCA

Projeto de iniciação científica

PREVISÃO DA VIDA EM FADIGA DE MATERIAIS METÁLICOS Parte I: Estudo Preliminar da vida em fadiga do aço ABNT1016 recozido

Relatório Final

Bolsista: Diego

de Gouveia Moia

Orientador: Prof. Rodrigo Magnabosco

30 de outubro de 2001

Laboratório de Materiais Departamento de Mecânica Faculdade deEngenharia Industrial Fundação de Ciências Aplicadas

1

http://welcome.to/LabMat-FEI

LabMat
FEI FCA

I . RESUMO

Uma das principais solicitações em materiais metálicos é conhecida como fadiga, sendo de alto ciclo quando a amplitude de tensão aplicada gera deformações macroscópicas predominantemente elásticas, não existindo laços de histerese na curva tensãodeformação cíclica. O presenteestudo está relacionado com um aço ABNT 1016 recozido, submetido à fadiga de alto ciclo com o controle da amplitude de tensão. Em se tratando de uma região de trabalho elástica, seria possível utilizar a equação de BasquinMorrow, encontrando o expoente de Basquin e o coeficiente de resistência à fadiga. Ensaios de tração permitiram a caracterização do material, que apresenta o módulo deelasticidade de 228 GPa, limite de escoamento de 341 MPa, limite de resistência de 516 MPa, tensão real de ruptura de 946 MPa e alongamento total de 39,4 %. Em um aço de baixo carbono espera-se dos dados uma aproximação da tensão real de ruptura com o coeficiente de resistência a fadiga. Ensaios de fadiga de alto ciclo, no entanto, mostraram forte tendência deste material a amolecimento cíclico, nãopermitindo a execução destes ensaios por controle da tensão aplicada. Deste modo, conclui-se que a caracterização da vida em fadiga deste aço só é possível em ensaios de fadiga de baixo ciclo, controlados pela amplitude de deformações.

1

http://welcome.to/LabMat-FEI

LabMat
FEI FCA

II.OBJETIVO

Este projeto desenvolvido pela FEI sobre previsão de vida em fadiga em materiais metálicospossuirá duas partes: sendo a primeira realizada de 12/00 até 11/01 com enfoque em fadiga de alto ciclo (superior a 104 ); nessa condição o material somente trabalhará na região elástica não existindo laços de histerese na curva tensão deformação cíclica e o ensaio também será controlado através de análise de tensões tendo sua amplitudes estipuladas para analisar a influência das variáveis de processo ejuntar dados que ajudarão a segunda fase, prevista com começo em dezembro de 2001 e término em dezembro de 2002 com enfoque em fadiga de baixo ciclo (inferior a 104 ); todo esse trabalho servirá para a formação de um arquivo de dados sobre vida em fadiga.

2

http://welcome.to/LabMat-FEI

LabMat
FEI FCA

III . REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
III.1.Introdução Um material, quando recebe cargaaplicada variável no tempo, sofre um tipo especial de solicitação conhecido pelo nome de fadiga. A fadiga, na linguagem comum, é o cansaço, um estado que torna impossível suportar solicitação. Ela representa a causa de 90% das falhas de componentes de materiais metálicos. Os materiais poliméricos e os cerâmicos, com exceção do vidro, são também susceptíveis à ruptura por fadiga[1] . Alguns pioneirosnesse assunto estão relacionados abaixo e suas descobertas com relação ao estudo de vida em fadiga[2] . 1838 → Albert (Alemanha) primeiro documentário sobre esforços cíclicos. 1839 → Poncelet (França) introduz pela primeira vez o termo fadiga. 1860 → Wöhler cria o primeiro sistema de investigação de fadiga através de experimento de flexão rotativa(curva S-N). 1864 → Fairbairn: primeiro experimentodo efeito dos esforços cíclicos. 1886 → Bauschinger notou o ciclo de histerese. 1903 → Ewing e Humfrey postulam a teoria da cristalização 1910 → Bairstow investiga a chance de haver endurecimento e

amolecimento cíclico e suas concepções. 1955 → Coffin e Manson (trabalhando independentemente) com fadiga

térmica, definem fadiga de baixo ciclo e concepção de deformação plástica. 1965 →...
tracking img