Estatinas e metformina

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6080 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de janeiro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE SÃO CAMILO

FARMACOLOGIA

UTILIZAÇÃO DE ESTATINAS E METFORMINA

Aluna: Ingrid Zélia Gomes do Carmo

SÃO PAULO
2011

1. INTRODUÇÃO
O pâncreas secreta dois hormônios importantes, a insulina e o glucagon.
Anatomia fisiológica do pâncreas.
O pâncreas é composto de dois tipos principais de estruturas; os ácinos, que secretam sucos digestivos para o duodeno e ilhotas deLangerhans, que secretam insulina e glucagon diretamente para o sangue.
As ilhotas de Langerhans do ser humano contêm três tipos principais de células, alfa, beta e delta, que se distinguem por suas características tintoriais. As células beta secretam insulina, as células alfa secretam glucagon e as células delta secretam somatostatina, cujas funções mais importantes ainda não foram totalmenteesclarecidas.
1.2 INSULINA
A insulina é um polipeptídeo muito grande, com peso molecular de 5.808 no caso da insulina humana. Ela é composta de duas cadeias de aminoácidos, ligadas entre si por ligações dissulfeto.
Antes de poder exercer sua função, a insulina tem primeiro de ligar-se a uma grande proteína receptora situada na membrana celular.
Para produzir seus efeitos nas células-alvo, ainsulina primeiramente deve se ligar a uma proteína receptora na membrana com peso molecular de cerca de 300.000 e a ativa. É o receptor ativado, e não a insulina, que provoca os efeitos subseqüentes.
Segundos depois de a insulina ligar-se a seus receptores na membrana, as membranas de aproximadamente 80% das células do corpo tornam-se altamente permeáveis à glicose. O aumento da permeabilidade àglicose, por sua vez, possibilita a rápida entrada de glicose nas células. Dentro das células, a glicose é imediatamente fosforilada, passando a ser substrato para todas as funções metabólicas habituais dos carboidratos.
Além de apresentar maior permeabilidade à glicose, a membrana celular também fica mais permeável a muitosaminoácidos, aos íons potássio, aos íons magnésio e aos íons fosfato.Efeitos mais lentos ocorrem durante os 10 a 15 minutos seguintes, alterando os níveis de atividade de ainda muitas outras enzimas metabólicas intracelulares.
Diabetes tipo 2 - conceituada como doença ou síndrome freqüentemente associada à forte predisposição de cunho genético. Segundo alguns estudos épidemiológicos, a estatística diz que 38% dos irmãos e um terço dos filhos de diabéticos tipo 2 têmdiabetes ou tolerância à glicose diminuída (TGD) e a concordância de DMT2 entre gêmeos monozigóticos é em torno de 70 a 80%. Há certa polêmica quando se discute os aspectos genéticos desta forma de diabetes, sendo considerada  de forma complexa e muito provavelmente poligênica. Isto ainda necessita de maiores esclarecimentos científicos e um concenso clínico bem definido, fatos estes que estãoainda distantes de ocorrer. Duas ocorrências importantes são indiscutíveis no que tange aos desajustes que manifestam o DMT2: (1) resistência à insulina e (2) deficiência de secreção de insulina. Certamente, manifestações genéticas podem ser influenciadas pelos fatores ambientais, mas as manifestações importantes ocorrem em indivíduos que apresentam predisposição genética sensível aos fatoresambientais. Assim, o risco de desenvolver o DMT2 aumenta, principalmente à medida com que ocorre o avanço da idade, da obesidade central e com o sedentarismo.
DIABETES MELLITUS TIPO 2

1.3 FISIOPATOLOGIA
Os níveis de glicose sérica são normalmente mantidos numa faixa relativamente estreita, aproximadamente entre 70 e a 99 mg/dL, levando em conta, as variações que ocorrem entre a glicose que chega e aque deixa a célula após refeições e durante exercício físico. De grande importância, o organismo realiza a manutenção dos níveis glicêmicos de forma  importante para a sobrevivência. Esta manutenção na faixa de normalidade é de fundamental importância e para isto é indispensável a atuação do sistema hormonal. De um lado a insulina - ação regulatória - do outro, o glucagon, as catecolaminas, o...
tracking img