Estamira - viver do lixo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1145 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO...................................................................................................................04
2. DESENVOLVIMENTO.....................................................................................................05 3. CONCLUSÃO.................................................................................................................... 07REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.................................................................................08



























1. INTRODUÇÃO

O presente trabalho refere-se a uma análise crítica de Estamira, uma senhora de 63 anos que trabalha em um lixão e é atormentada por distúrbios mentais, com base nos pressupostos do texto sobre Transtornos Mentais noTrabalho e Viver do Lixo ou no Lixo.
“Estamira” é um Documentário feito pelo diretor Marcos Prado e conta a história de uma mulher que divide sua vida entre um barraco na velha Rio-Santos e o Aterro de Gramacho, onde se aventura tentando separar o que encontra de aproveitável e os materiais irremediavelmente podres e inúteis que lá ficarão acumulados. É atormentada por distúrbios mentais que afazem ouvir vozes, ver coisas e ter acessos quase descontrolados de fúria. Tem três filhos, dois deles criados em parte com o dinheiro conseguido no lixão.
O diretor a conheceu fazendo fotos em Gramacho. Em troca de posar para alguns instantâneos, Estamira pediu que o então fotógrafo sentasse a seu lado e com ela conversasse por alguns minutos. Foi o suficiente para que Prado ficasse fascinadocom o que, mais tarde, chamou de “cosmologia de Estamira”: a visão de mundo, misturada com delírios e juízos da personagem, que se indigna contra o “trocadilo”, o “poderoso ao contrário” e que vê as estrelas e a lua presentes aqui na Terra, sendo o céu apenas um reflexo, espelho do que está embaixo.
Não é um filme fácil. Os vinte primeiros minutos são dedicados exclusivamente aos delírios dapersonagem, tendo o lixão como cenário. Em belas cenas filmadas ouvimos a voz da personagem filosofar sobre o que se usa, o que se tem, o que se guarda e o que se joga fora, e vemos as primeiras imagens de seus companheiros de trabalho, outros idosos vivendo do lixo e com quem Estamira parece ter melhores relações do que com sua própria família.
Sendo assim, para a realização do presente trabalho, acompreensão da personagem é realizada dentro da perspectiva da psicologia e da psicodinâmica do trabalho, com base nos pressupostos sobre a relação entre saúde e trabalho.
Intenta-se relacionar teoria e prática, procurando compreender a personagem em sua totalidade, visando focar sua determinação em fazer o que deseja e permanecer onde se sente bem.
2. DESENVOLVIMENTO

Estamira é uma mulherque trabalha (e trata isso com orgulho) em um lixão. É antes de tudo alguém que já sofreu diversos abusos e possui um olhar peculiar sobre a vida. Ela se irrita quando o assunto é Deus e se diz sábia, mostrando uma postura que pode ser facilmente confundida com arrogância, mas não é. Estamira é um “lugar”, uma idéia, um estado de espírito onde o ser humano pode ser mais autêntico. É alheia ao mundoe assim tenta estudá-lo, e por mais que o olhar fechado de fora tente trazê-la para o “real” (é preciso dar remédio a quem “sai da linha”?), o lado inconsciente continua martelando quase como um demônio trazendo de volta discursos embolados que fazem todo sentido. É a manifestação de um interior furioso nascido de um passado infeliz e sofrido, que somado a uma boa dose de “determinismo”,transforma Estamira na figura que é.
O lixão é a representação irônica e trágica da própria condição do homem. Para um olhar raso, é meramente uma imagem de contexto social de pobreza. Mas, para Estamira, é o lugar onde talvez se encontre a sua própria essência.
Através do comportamento de Estamira é possível observar com clareza que a Psicodinâmica do Trabalho parte do pressuposto de que o trabalho é...
tracking img