Estagio de psicopedagogia clinica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 31 (7679 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Sindrome de down

1 Introdução

Os trabalhos sobre síndrome de Down surgiram há muitos anos, por volta do século XIX, e a cada dia novos estudos surgiram com propostas inovadoras sobre o assunto. No entanto, através de pesquisas realizadas sobre a evolução dos estudos sobre a síndrome, encontramos um fato muito interessante que é a imagem que a sociedade por muitos anos postulou aossindrómicos:

Na cultura grega, especialmente na espartana, os indivíduos com deficiências não eram tolerados. A filosofia grega justificava tais atos cometidos contra os deficientes postulando que estas criaturas não eram humanas, mas um tipo de monstro a outras espécies (...). Na Idade Média, os portadores de deficiências foram considerados como produto da união entre uma mulher e o demônio.(SCHWARTZMAN, 1999, P. 3-4).

Por muitos anos, a criança Down era considerada como a retardada, a incapaz e em algumas sociedades era até mesmo considerada como mostro ou filha do demônio. Infelizmente, atualmente encontramos ainda algumas confusões sobre o conceito de Down, que é confundido com deficiente mental.
“A síndrome de Down é decorrente de um erro genético presente desde o momento concepção ouimediatamente após (...)” (Schwartzman, 1999, p. 3).
No entanto, como descreve Schwartzman (1999), sabemos atualmente que a síndrome se trata de uma alteração genética e que os portadores da síndrome, embora apresentem algumas dificuldades podem ter uma vida normal e realizar atividades diárias da mesma forma que outra pessoa. Não negamos a afirmação de que o Down apresenta algumas limitações eaté mesmo precise de condições especiais para a aprendizagem, mas enfatizamos que estes através de estimulações adequadas podem se desenvolver.
As dificuldades de aprendizagem, os distúrbios de conduta, a problemática de sua integração completam, mas não esgotam o quadro da educação do aluno com síndrome de Down. (MILLS apud SCHWARTZMAN, 1999, p. 232).
O autor aborda em seu trabalho justamente aquestão da educação da criança Down. O interesse por este assunto surgiu a partir da descoberta das inúmeras possibilidades e habilidades dessa criança especial:

Um dos grandes objetivos da educação infantil é fazer com que a criança seja mais autônoma em sala de aula. Adquirir autonomia é interiorizar regras da vida social para que se possa conduzir sem incomodar o restante do grupo. E essaadequação social é condição sine qua non para que seja integrada. (MILLES apud SCHWARTZMAN, 1999, p. 23).

E a partir de leituras e pesquisas propôs neste trabalho, a apresentação ao leitor um conhecimento mais profundo sobre as crianças Down e suas habilidades e limitações. Este conhecimento é de extrema importância para familiares e professores que poderão estimular adequadamente a crianças lheproporcionando um grande desenvolvimento. Pretendem também evidenciar técnicas inovadoras na educação do Down, que facilitarão os procedimentos frente à criança.

2 A Síndrome de Down

A síndrome de down consiste é decorrente de uma alteração genética, ocorre em 13 de cada 1000 nascimentos.
Há três tipos de síndrome de down a mais conhecida chama-se Trissomia do 21 Padrão onde ocorre umaanomalia na divisão celular enquanto o óvulo ou o esperma se desenvolve durante a fertilização. Segundo fonte de pesquisa 95% dos portadores da síndrome de down tem trissomia do 21 Padrão, 4% tem translocação que é quando o cromossomo 21 extra se rompe e adere-se a outro cromossomo, a translocação pode ser devido a fatores hereditários. Cerca de 1% têm mosaico, quer dizer que somente algumas célulasdo corpo têm a trissomia do 21 e não todas.
Não foi exatamente esclarecida a causa da síndrome, no entanto, alguns fatores são considerados de riscos devido a grande incidência em que gestações na presença destes vem apresentando alterações genéticas. Os fatores de riscos podem ser classificados como endógenos e exógenos. Um dos principais fatores de risco endógenos é a idade da mãe, que em...
tracking img