Estabeleça uma comparação entre piaget e vygotsky com relação ao desenvolvimento cognitivo e relacione ao processo de alfabetização

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1399 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
UM BREVE PANORAMA DO ENSINO DE LÍNGUA MATERNA NO BRASIL
 
Andrea Cristine Pflüger Pacheco
 
GALLIMORE e THARP(1988:171) fazem um perfeito retrato da educação mundial, que muito se assemelha com a brasileira:
 
“Repetidamente neste século, as tendências de melhoria da escola pública ficaram aquém das expectativas reformistas. Uma razão para este progresso limitado foi a ausência de uma basecomum para o entendimento e a correção do ensino e da escolarização. Embora as idéias de Vygotsky estejam exercendo uma influência profunda sobre a educação, elas em si são insuficientes para construir uma teoria da educação completamente satisfatória....”

O ensino de língua materna no Brasil há muito tempo mantém o ensino tradicional como método, apesar dos esforços das universidadesem propagar, difundir novos métodos e estar a disposição da comunidade escolar com vários cursos de atualização. Durante os últimos cem anos, a memorização de conteúdos é que predominou nas escolas, muito disso deve-se a má qualificação dos professores, mas há outros aspectos que foram talhando a iniciativa de poucos, raros professores que se aventuravam numa proposta mais interativa de ensino. Asexigências como o número cada vez maior de conteúdo, das avaliações mais detalhados , priorizando as exceções às regras, além da exigência de uma disciplina “militar” nas salas de aula, fez com que professores assumissem cada vez mais uma posição de controladores e “ditadores”.
 
Mas então, se atualmente os mais modernos métodos estão a disposição dos professores, há inúmeros semináriosdedicados a atualização dos mesmos , por que não se utilizam deles para melhorar sua prática educativa?
 
RICHTER (2000:12) encontra uma explicação para esse fato:
 
“O professor de língua portuguesa comumente não passa por uma formação que inclua princípios cognitivos, afetivos e lingüísticos subjacentes à aquisição de uma língua. Essa lacuna o leva a tentar amparar-se inutilmente numa enormeparafernália de regras e memorizações.”
 
Muitas vezes, os professores ao tomarem conhecimento dos novos métodos ficam encantados, mas julgam-se incapazes de aplicá-los, pois falta-lhes auto-estima, que foi desmantelada ao longo de muitos anos com sucessivas políticas salariais e o descaso com a educação por parte dos governos que só degradaram a moral dos professores.
 
Outras vezes, osprofessores não conhecem o significado da palavra método. Para a grande maioria dos professores (KATO 1990:3), método é “um conjunto de matérias, técnicas e procedimentos para se atingir um fim, isto é, um conjunto programado de atividades para o professor e o aluno”.
 
Por outro lado, a situação real de sala de aula não é levada em consideração na elaboração dos métodos , há um distanciamento entre ateoria e a prática. As estratégias propostas para o trabalho em sala de aula nem sempre são condizentes com a realidade enfrentada pelos professores, assim , quando testam as propostas e elas não dão os resultados esperados ou ao menos satisfatórios há uma grande frustração.
 
Além disso, os métodos, na sua maioria, são de escolas americanas ou européias, funcionam em países de primeiro mundo,economicamente e “culturalmente” superior. Elas não são adaptadas às escolas brasileiras e estas têm alunos de todos os níveis, há uma diversidade muito grande numa mesma sala de aula, o que torna o ensino , principalmente dos professores ainda muito mal preparados, muito difícil e ineficaz.
 
Qualquer método, para ser eficaz, deve ter a ele subjacentes hipóteses claras sobre a natureza doobjeto a ser aprendido e sobre a natureza da aprendizagem desse objeto e que o aplicador tenha conhecimento dessas hipóteses.
 
Há crianças que chegam à primeira série do ensino básico lendo, enquanto outras mal reconhecem uma letra, e com o método tradicional utilizado por grande parte das escolas, o aluno que chega lendo , desaprende, e o aluno que mal sabe reconhecer uma letra, não progride...