Esquemas cognitivos desadaptativos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3277 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1. Introdução

Neste trabalho, iremos realizar um levantamento de cunho qualitativo sobre os esquemas cognitivos desadaptativos mais evidentes em estudantes do curso de Psicologia do primeiro e quinto ano, bem como são expressas suas expectativas e receios frente ao mercado de trabalho.
Conceituaremos como surgiu a Terapia Cognitiva de Aaron Beck, posteriormente a Terapia dos Esquemas, emque são vislumbrados os 18 esquemas cognitivos desadaptativos desenvolvidos por Jeffrey Young, e por fim o que é mercado de trabalho na profissão do psicólogo.
Surgem dúvidas sobre qual a visão dos estudantes de Psicologia sobre seu futuro ingresso no mercado de trabalho e a respeito desse assunto vem a tona sentimentos de expectativa, temores, ansiedade, receio, inferioridade, auto- exigência,entre outros, e com isso, questões importantes que vem a perturbar ou atrapalhar um desenvolvimento e desempenho acadêmicos pleno. Portanto serão analisados quais esquemas cognitivos desadaptativos surgem nesta época da vida, gerando distorções de pensamento.

1.1 A Terapia Cognitivo-Comportamental
A história da terapia cognitiva inicia-se em 1956 quando Aaron Beck realizou um trabalho de pesquisacom o intuito de verificar os pressupostos psicanalíticos acerca da depressão. Os estudos de Beck o levaram a deparar-se com resultados de outra natureza: alguns pacientes apresentaram melhoras em resposta a algumas experiências bem sucedidas e não resistiram a estas mudanças, contrariando o esperado (ALFORD & BECK, 2000).
A Terapia Cognitiva de Beck é considerada, nos dias atuais, como aprincipal abordagem cognitiva e seus trabalhos iniciais se deram com pacientes com sintomas de depressão. De acordo com a abordagem cognitiva de Beck, os pensamentos e avaliações negativos, comumente encontrados em pacientes com depressão não constituem um sintoma somente, mas são fatores que estão na própria manutenção desta psicopatologia. Em consequência desta visão, a depressão na Terapia Cognitiva,assim como os demais transtornos psiquiátricos, é tratada levando o paciente a identificar e alterar estes pensamentos disfuncionais (BIGGS & RUSH, 1999; SHAW & SEGAL, 1999: BAHLS & BAHLS, 2003 apud BAHLS & NAVOLAR , 2004).
O objetivo da Teoria Cognitiva é descrever a natureza de conceitos (resultados de processos cognitivos) envolvidos em determinada psicopatologia de maneira que quandoativados dentro de contextos específicos podem caracterizar-se como desadaptativos ou disfuncionais. O objetivo da terapia cognitiva seria, ainda, o de fornecer estratégias capazes de corrigir estes conceitos (BAHLS, 1999; BIGGS & RUSH, 1999; BECK & ALFORD, 2000 apud BAHLS & NAVOLAR , 2004).
Ao definir esquema, pode-se dizer que se refere (BECK, 1976) a uma rede estruturada e inter-relacionada decrenças, que orientam o individuo em suas atitudes e posturas nos mais variados eventos de sua vida. Esquemas são, então, compreendidos como estruturas de cognição com significados. “Os esquemas, definidos como estruturas cognitivas que organizam e processam as informações que chegam ao individuo, são propostos como representações dos padrões de pensamento adquiridos no inicio de seu desenvolvimento”(DOBSON & DOZOIS, 2006, p. 26).
A Terapia cognitiva constitui uma abordagem ativa, focada no presente, orientada para o alívio dos sintomas, e para a obtenção de resultados num prazo curto. A utilização da Terapia Cognitiva está estudada para situações como: depressão, ansiedade, fobias, perturbação obssessiva-compulsiva, perturbações alimentares. Pode ainda ser utilizada no âmbito da preparaçãopara uma situação pontual considerada difícil, ou como ferramenta de auto-conhecimento e desenvolvimento pessoal (BECK, 1997).
O conceito de cognição refere-se à forma de como percebemos e interpretamos as situações. Segundo as terapias cognitivas, são as nossa cognições sobre uma situação, e não a situação em si, que desencadeiam as nossa emoções e os nossos comportamentos. Por exemplo, serão os...
tracking img