ESCOLAS PRÉ SOCRATICAS

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 39 (9703 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 31 de março de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto






FILOSÓFOS PRÉ SOCRATICOS

ANA CLARA PAES
FERNANDO
MARCELO MELLO
PRISCILA MENDES
PRISCILA SANTOS
RENATO DA CRUZ DAMASCENO











RIO DE JANEIRO
ABRIL – 2014

ANA CLARA PAES
FERNANDO
MARCELO MELLO
PRISCILA MENDES
PRISCILA SANTOS
RENATO DA CRUZ DAMASCENO




FILOSÓFOS PRÉ SOCRATICOS






Trabalho apresentado a ProfessoraBianca do Carmo da Costa Siebra da disciplina Filosofia da turma RJMIS01AMC1, turno Manhã do curso de Administração.








Faculdade São Camilo
Rio de Janeiro - 04/04/2014

































Introdução

O conhecimento filosófico surgiu aos poucos, em substituição aos mitos e às crenças religiosas, na tentativa de conhecer ecompreender o mundo e os seres que nele habitam. A formação do pensamento filosófico se deu na passagem do mito (mýthos) para a razão (lógos). Os deuses têm sua importância relativizada pela razão a partir dos elementos existentes na natureza estudados pelos pré-socráticos.
Considerando os pré-socráticos como os filósofos de um primeiro período do pensamento grego, o qual pode ser denominado comonaturalista, visto que esses filósofos tinham como objetivo descobrir a substância única, a causa, o princípio do mundo natural. Sabe-se que o início da filosofia deu-se no momento em que o homem passou a buscar explicações de forma racional para os fenômenos da natureza, e não mais na mitologia.
Os historiadores costumam distinguir no período pré-socrático quatro grandes tendências ou escolas, emgeral coexistentes: Escola Jônica, Escola Pitagórica ou Itálica, Escola Eleata e Escola Pluralista ou Atomista.



















OS FILÓSOFOS PRÉ-SOCRÁTICOS

Os filósofos pré-socráticos tiveram seu interesse filosófico voltado para a natureza (phýsis), assim sendo, os primeiros filósofos eram investigadores da natureza, ou phýsicos. O termo pré-socrático pode ser consideradosomente como um ‘padrão’ filosófico, já que nada tem de cronológico ou qualitativo. Sócrates, em verdade, teve como contemporâneos vários filósofos qualificados como pré-socráticos. Essa denominação deve-se ao fato de que a partir dele o interesse pela natureza é integrado ao interesse pelo espírito.
A filosofia, ao nascer, teve definida a sua busca: uma explicação racional sobre a origem, oprincípio das coisas (arché) e ordem do mundo, o kósmos (cosmos). Os primeiros filósofos se ocuparam principalmente de indagações a respeito do mundo ao seu redor, que também envolviam a percepção do lugar do homem nele. Essa busca trouxe à luz uma divergência entre a ciência e o senso comum.
Até então, o homem tinha como herança cultural a crença de que tudo - desde as quatro estações até a morte -era relacionado a um deus ou um mito. Surge então uma nova mentalidade, que passa a substituir as antigas construções mitológicas pela forma intelectual, expressa por meio de especulação livre sobre a natureza do mundo e as finalidades da vida. Neste espírito houve o desenvolvimento da matemática, da ciência e da filosofia. O primeiro a levantar essas questões foi Tales de Mileto.
Oshistoriadores costumam distinguir no período pré-socrático quatro grandes tendências ou escolas, em geral coexistentes: Escola Jônica, Escola Pitagórica ou Itálica, Escola Eleata e Escola Pluralista ou Atomista.

ESCOLA JÔNICA

A Escola Jônica, assim chamada por ter florescido nas colônias jônicas da Ásia Menor, compreende os jônios antigos e os jônios posteriores ou juniores. Essa escola floresceuprecisamente em Mileto, colônia grega do litoral da Ásia Menor, durante todo o VI século, até a destruição da cidade pelos persas no ano de 494 A.C., prolongando-se porém ainda pelo V século.
É habitual considerar a Escola Jônica como a iniciadora da reflexão filosófica na Grécia. Mas, de Tales, de Anaximandro, ou de Anaxímenes, seus principais filósofos, não restou diretamente qualquer texto. Esta...
tracking img