Escola de frankfurt

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2168 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
1. INTRODUÇÃO

A sociedade moderna trazia a ideia da liberdade econômica, do individualismo, da capacidade de qualquer indivíduo ter seu negócio e gerar riqueza, sem importar sua classe social e sim o seu esforço para crescer com seu trabalho. Porém este processo trouxe várias contradições internas trazendo muitos conflitos políticos, crises econômicas, angústias coletivas e sofrimentosexistenciais. O crescimento econômico foi desvinculado das subjetividades das pessoas, causando diversas patologias sociais.

A tecnologia avança a todos os setores inclusive das artes, dando grande ênfase no cinema e rádio que começaram a ser vistos como uma eficiente via de comunicação para atingir às massas influenciando em suas atitudes e pensamentos. Este é o enfoque da Escola deFrankfurt, pensar, criticamente, a influência dos meios modernos de comunicação no processo de massificação política e econômica que até hoje vem movido nossa sociedade.

Adorno, Horkheimer e Macuse, os principais representantes da Escola falavam da transformação da cultura em mercadoria, a subordinação da consciência à racionalidade capitalista, onde os valores que antes eram passados atravésda família, da escola e da religião agora são passados pelos meios de comunicação. É a transformação do homem em produto que salientava Marx trazendo o desencantamento do mundo que falava o sociólogo Weber, ou até o domínio da “cinzenta teoria” de Goethe com o empobrecimento geral dos seres humanos.

O Iluminismo que traria a liberdade dada pela razão foi na verdade tecendo amarrascolocando a sociedade a serviço do capitalismo alienando-se, e esse é o enfoque pessimista dado ao desempenho da razão segundo Adorno e Horkheimer.













2. HISTÓRICO E VINCULAÇÕES

A Alemanha dominou grande parte do cenário intelectual ocidental entre 1850 e 1950, formando o moderno estado germânico (II e III Reich) e se transformando em uma das potências mundiais atéas duas grandes guerras. Nesse período surgiram alguns filósofos que criticavam as condutas da modernidade como Marx e Nietzsche. Em 1924, seguindo a essas críticas, é formada a Escola de Frankfurt, após a fundação do Instituto para Pesquisa Social em 1923, pensando com seriedade o impacto e as consequências dos meios de comunicação de massa na sociedade.

Podemos identificar cincomomentos na história do moderno pensamento alemão: o idealismo clássico, o materialismo histórico de Marx e Engels, Nietzsche, a Fenomenologia de Husserl e o existencialismo de Heidegger e a Escola de Frankfurt com Max Horkheimer e Theodor Adorno como principais representantes.

A Escola foi fundada na Universidade de Frankfurt em 22 de junho de 1924, denominada oficialmente como “Instituts fourSozialforschun” em uma época de grande inflação e tumultos políticos espalhados pela Alemanha. Teve a denominação de escola pela existência de um quadro institucional, a presença de um mestre de pensamento carismático (Horkheimer e depois Adorno), a formação de um “novo paradigma” na fusão do materialismo histórico com a psicanálise, a abertura a outros pensadores como Schopenhauer e Nietzsche euma revista periódica que continha ensaios dos integrantes e colaboradores da escola.

Foi Félix Weil, um jovem intelectual de 25 anos, quem construiu a escola de cunho marxista que idealizava e, segundo algumas testemunhas da época, a intenção era entrega-la mais tarde a um Estado Soviético que poderia ser implantado no futuro na Alemanha. Isso tudo contemporaneamente a Lenin e Stalin.Mas foi nos anos 30 que o instituto desabrochou, na época da ascensão de Hitler e Stalin, buscando a aproximação de pensamentos de Freud com Marx e, por vezes com Heidegger em um grande trabalho de interdisciplinaridade através da Teoria Crítica, embasada nas Ciências Sociais, em cima da Indústria Cultural.

A Escola foca nos elementos da racionalidade do mundo moderno que leva ao...
tracking img