Erwin panofsky

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2846 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo do Capítulo I Iconografia e Iconologia: Uma Introdução ao
Estudo da Arte do Renascimento
Constança Albino de Lacerda e Mello 7334
1º Ano Pintura
FBAUL, 2012/2013
História da Arte I

Índice

1. Introdução
2. Resumo do Capitulo I - Iconografia e Iconologia: Uma Introdução ao
Estudo da Arte do Renascimento
2 . 1 - I
2 . 2 - II
3. Bibliografia1.
Introdução
Erwin Panowsky, autor de “O Significado nas Artes Visuais” (obra cujo 1º capítulo irei apresentar) nasceu em Hannover no ano de 1892. Foi um genial teórico da história da arte do século XX, cujos temas vão da teoria das proporções à visão histórica de Vasari, Ticianoe Poussin. Resumirei o capítulo I que dá a conhcer o significado da Iconografia e Iconologia, conceitos introduzidos pelo próprio autor no mundo da arte.

2 .
Resumo do Capitulo I – Iconografia e Iconologia: Uma Introdução ao Estudo da Arte do Renascimento
O Significado nas Artes Visuais

2.1 - I
Erwin Panofsky começa este capítulo com a definição de iconografia. Iconografia é oestudo do significado existente nas obras de arte, opondo-se à forma. Existe assim uma diferença profunda entre assunto ou significado e forma.
Partindo e transpondo os resultados de uma análise a situações da vida quotidiana a uma obra de arte, Erwin faz a distinção do seu assunto ou significado em três estratos, que evoluem em profundidade:

1. Significado primário ou natural, subdividido emfactual e expressional.
Esta fase decorre em situações em que a identificação de um aspecto ou de um pormenor, observado numa obra de arte, é óbvia, é possível identifica-la através da experiência prática, existindo uma familiaridade que fornece automaticamente o significado de uma expressão, de um gesto ou de uma representação de uma figura ou motivo numa obra de arte.
Essa familiaridadeaplica-se tanto nas situações convencionais como nas práticas, assim, estas observações sobre as imagens de uma obra de arte podem-se designar-se por descrição pré- iconográfica.
Factual: identificação de certas formas visíveis em objectos apreendidos pela experiencia prática (social, cultural, civilizacional);
Expressional: mas que simples identificação automatizada e inconsciente, é uma criação de“empatia” com o que esta a ser observado. É necessária sensibilidade, mas não deixando de ser também resultado da experiencia prática e familiaridade que o individuo tem com o objecto e as formas. Pode também não ser intencional.

2. Significado secundário ou convencional, diz respeito à análise dos motivos artísticos e conjunto de motivos (composições) em conexão com temas e conceitos.
Os motivosartísticos que são assim portadores de um significado secundário ou convencional podem ser chamados de imagens e a combinação das mesmas originam alegorias.
A identificação dessas alegorias numa obra de arte é do domínio da iconografia, que como Panofsky começou por referir é a ciência que se ocupa do estudo dos assuntos secundários (temas e conceitos) expressos intencionalmente pelo artista emalegorias e histórias patentes numa obra de arte.
Apesar disso, uma análise iconográfica correcta pressupõe também uma identificação dos motivos, dai o domínio do significado primário ou natural também ser chamado de pré-iconografia.

3. Significado intrínseco ou conteúdo, identifica os princípios subjacentes que revelam a atitude de uma nação, período, classe, convicções religiosas oufilosóficas, assim representados numa obra de arte.
As formas puras, motivos, imagens, histórias e alegorias são então manifestações de princípios/valores subjacentes a que Ernst Cassier chamou de simbólicos.
Panofsky acrescenta também que a descoberta e a análise dos elementos simbólicos que contribuíram para a compreensão mais profunda de uma obra de arte e como esta se inseriu na época, é o...
tracking img