Erro de ortografia não é erro de português

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1812 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
1. ORTOGRAFIA: ESTE PECULIAR OBJETO DE CONHECIMENTO
O autor inicia o texto com uma definição de ortografia extraída do dicionário organizado por João Grave (da Academia de Sciencias de Lisbôa) e por Coelho Neto (da Academia Brasileira de Letras) nas primeiras décadas do século XX em substituição à preferida pelos autores citados e que eles próprios denominam de ortografia antiga, porémacreditando que tal forma antiga ainda perduraria, ocasionando, portanto, a coexistência de diferentes formas de ortografar.
Sabemos que a Língua portuguesa é regida pelo sistema alfabético de escrita, onde os sons da fala são representados graficamente, e os erros cometidos estão intimamente relacionados com a impossibilidade de se escrever certas palavras da forma como estas são pronunciadas. 
Ascondições relativas à produção e difusão da língua escrita variam ao longo da historia, refletindo os percursos dos povos que as utilizam. A ortografia cumpre a função de, através da normatização das formas gráficas, facilitar a comunicação entre as pessoas. A pessoa não poderá se basear apenas no conhecimento de regras mais elementares de correspondência grafofônica, pois nem sempre poderá fazer atranscrição literal do que fala para o que escreve. E para escrever convencionalmente, a pessoa terá que se preocupar com os aspectos ortográficos da língua o que vão constituir uma nova fonte de dificuldades para ela. Temos, todos, que seguir a norma, para não correr o risco de sermos discriminados.
De acordo com o texto, as normas ortográficas são estabelecidas por convenção social e queassume um caráter normatizador, prescritivo. Daí a grande dificuldade enfrentada pelos escritores iniciantes na composição de seus textos. A criança terá que, em seu aprendizado, reconstruir esta convenção.
A aprendizagem da ortografia é muito mais do que a simples memorização de regras, implicando a compreensão e domínio de princípios gerativos que vão determinar a escrita de palavras.
“O dilema decomo fixar a forma escrita das palavras de uma língua, não é novo, verificando-se já na Grécia e Roma antigas (Bonner, 1984). De acordo com Benveniste & Chervel (1976), a tendência histórica ao criar ortografias foi manter uma relação entre o ideal fonográfico e o principio ideográfico (que opta por manter a etimologia, a notação das palavras em sua língua original)”
Se insistíssemos, emexcluir a historia para simplificar a ortografia do português, tendo por meta um ideal fonográfico, teríamos um grande problema: qual seria a forma modelo de pronunciar determinadas palavras? O /paye/ (falado por uma criança carioca) ou o /pay/ ( pronunciado por uma criança pernambucana). Teríamos ao final duas formas escritas. De acordo com Morais e Teberosky(1996), o mito da perfeição alfabética éuma ilusão.
O caminho percorrido por cada língua contém suas peculiaridades, revelando um maior ou menor predomínio da tradição (etimologia) ou na tentativa de reproduzir uma pronuncia idealizada. Mas, sempre as soluções encontradas terão sido soluções arbitradas que se transformaram em convenção. Portanto, para Morais, tudo em ortografia é fruto do arbítrio.
“A tarefa do aprendiz de ortografiaé então multifacetada: envolve apropriar-se das restrições irregulares e regulares socialmente convencionadas, de modo a gerar não só a escrita de palavras, mas a escrita correta de palavras”.
Não chamar de “erros” as notações infantis que não estão de acordo com a norma, reflete um sentido ideológico dotado apenas de boas intenções em relação a não restringir a expressão escrita.
Concluidefendendo que a substituição de nomes (“erro” por “hipótese”, etc.) não garante um ensino que de fato auxilie o aprendiz a apropriar-se das propriedades regulares da forma de escrever que ele tem que reproduzir.

2. ERRO DE ORTOGRAFIA NÃO É ERRO DE PORTUGUÊS

O autor inicia o texto apontando como uma conseqüência negativa a importância exagerada concedida aos chamados “erros de ortografia”. O...
tracking img