Ergonomia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 87 (21505 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FERNANDA DE SOUZA QUADROS

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA GRUPAL PARA OPERADORES DE CAIXA EM SUPERMERCADOS

Palhoça, 2006

2

FERNANDA DE SOUZA QUADROS

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA GRUPAL PARA OPERADORES DE CAIXA EM SUPERMERCADOS

Projeto de Pesquisa apresentado na disciplina de Trabalho de conclusão de Curso – II como requisito para a obtenção do título depsicólogo. Universidade do Sul de Santa Catarina Núcleo Orientado: Psicologia e Trabalho Humano

Orientadora: Profa. Maria Esther Souza Baibich

Palhoça, 2006

3

“Coisas que não posso fazer: dobrar cobertores; escrever; estalar os dedos; fazer qualquer tipo de gesto com o dedo; dobrar os dedos; escovar os dentes; lavar as costas; me limpar após ir ao banheiro; carregar peso; levar a bolsa noombro; estender a roupa; bater palmas na igreja; erguer os braços; cruzar os braços; ficar com os braços um pouco mais na mesma posição; folhear livros e revistas; bater na bundinha da criança; ralar coco; abrir garrafa de refrigerantes; abrir latas; abrir latinha de refrigerantes na rua; lavar copos; arear panelas; segurar algo por um tempo maior; apertar a torneira quando está vazando; mesegurar no ônibus; ficar em pé por tempo mais prolongado; andar muito; carregar meu filho; dar banho no filho; trocar a fralda do filho; fazer amor com o marido; descascar legumes” Relato de Conceição, trabalhadora com LER

4

Dedico esta pesquisa à minha mãe e à minha tia pelo apoio e pela compreensão nos momentos de indecisão, frustração e alegria que fizeram parte deste processo deaprendizagem.

5

RESUMO

A saúde do trabalhador na sociedade atual tem sido um tema muito estudado e pesquisado, tendo em vista a dimensão que o trabalho ocupa na vida das pessoas. Novas tecnologias, incorporadas diariamente, modificam as relações de trabalho e, em conseqüência, aumentam os índices de desemprego e de trabalho informal. O ramo supermercadista é um dos que tem incorporado maistecnologia e os Operadores de Caixa para se adaptar a esta nova relação de trabalho e evitar o desemprego, submetem-se a uma cobrança cada vez maior por produtividade e qualidade no atendimento ao cliente, que é uma exigência neste ramo de serviços. Esta exigência por produtividade gera sobrecarga de algumas estruturas físicas e psíquicas, podendo causar doenças relacionadas ao trabalho, comoas Lesões por Esforços Repetitivos/Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (LER/DORT). Sendo o principal objetivo desta pesquisa elaborar uma proposta de intervenção terapêutica grupal para recuperar operadores de caixa em supermercados com desconforto indicativo de LER/DORT, utilizou-se como referencial teórico Vanderlei Codo, além de bibliografias na área da ergonomia, engenharia,psicologia e manuais técnicos dos Ministérios da Saúde e do Emprego, na tentativa de compreender a relação saúde/doença e trabalho e para tentar relacionar a atividade do operador de caixa aos fatores de risco referentes a LER/DORT. Metodologicamente, realizou-se uma pesquisa bibliográfica descritiva. Com base nos dados levantados, pode-se perceber que o operador de caixa está exposto a muitosfatores de risco organizacionais, físicos e psicossociais e que as abordagens propostas para estes riscos pouco consideram os riscos psicossociais, por isso, concluiu-se pela utilização de grupos operativos como estratégia de recuperação psicossocial. Palavras-chave: Saúde do trabalhador. Operadores de caixa. LER/DORT. Grupos operativos.

6

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO...................................................................................................

9

2 REFERENCIAL TEÓRICO ............................................................................. 2.1 A relação saúde/doença e trabalho ............................................................... 2.2 As Lesões por Esforço Repetitivo/Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (LER/DORT)...
tracking img