Ergonomia qualidade produtividade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3313 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A CONTRIBUIÇÃO DA ERGONOMIA ORGANIZACIONAL PARA A QUALIDADE





(1) Aluno do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Taubaté
(2) Professor do Departamento Engenharia Mecânica da Universidade de Taubaté

Resumo

Objetivo deste trabalho é apontar os resultados da aplicação da ergonomia no contexto de uma empresa automobilística. Para tudo será levantado os principaisproblemas gerados por uma ergonomia inadequada. Mostrando através de gráficos e tabelas os danos ocasionados por uma aplicação mau estudada. Classificando e relacionando os aspectos de qualidade e produtividade. Espera-se concluir que a ergonomia contribua de forma positiva com as divergências de qualidade e minimize indícios dos aspectos suprecitado.

Palavras-chave: Ergonomia, Qualidade,Produtividade..

















ERGONOMICS ORGANIZACIONAL'S CONTRIBUTION FOR THE QUALITY
Abstract
Purpose of this paper is to show the results of application of ergonomics in the context of an automobile company. Will be raised for all the major problems caused by improper ergonomics. Showing through graphs and tables for the damages caused by an application poorly studied. Sortingand related aspects of quality and productivity. Expected to finish that ergonomics make a positive contribution to the differences in quality and minimize signs of super-cited aspects.

Keywords:: Ergonomics, Quality, Productivity.
























1. INTRODUÇÃO
Segundo o autor Jan Dul (2009), escritor do artigo Ergonomics Contributions To CompanyStrategies, publicado na revista Applied Ergonomics em 2009, nos últimos 25 anos, vários autores tem enfatizado que a ergonomia é um problema a ser aceito pelas empresas e gestores. Em um ensaio na revista Science Administrtive Quartely, Perrow (1983) argumentou que o problema da ergonomia se deriva nos trabalhos nas empresas.
A ergonomia vista apenas pelo viés da saúde e da segurança, paracumprimento das legislações, pode ser enxergada pela alta direção das organizações como um fator negativo, obrigatório e que não agrega valor, Jan Dul (2009). Esses fatos, aliado a pouca participação nas fases projetuais, afastam os objetivos da ergonomia daqueles planejados pelas organizações. Em muitas empresas, os diretores não parecem ser positivamente motivados a aplicar a ergonomia. A fim dereforçar a posição da ergonomia discutiremos como uma boa aplicação poderia apoiar nas estratégias das empresas e mantendo-as mais competitivas, incluindo volume de produção, índices de absenteísmo e qualidade.
Modelos conceituais serão apresentados e serão dados exemplos para ilustrar a situação atual, em que a ergonomia não faz parte do planejamento da empresa para garantir o desempenho donegocio, em outra será dado exemplos em que a situação desejada em que a ergonomia é uma parte integrada da formulação e implementação das estratégias.
Espera-se concluir que a ergonomia seja facilmente aplicada aos coordenadores da qualidade, afim de aumentar os bons resultados e provar a ligação da qualidade com a ergonomia.

2. REVISÃO DA LITERATURA
2.1 Absenteísmo ecomprometimento
Segundo os autores Maria Irene Stocco Betiol(2002) e Maria José Tonelli (2002), as mudanças no mundo do trabalho contemporâneo têm levado vários autores a repensar as condições necessárias para o bom desempenho no trabalho (Rifkin, 1995; Spink, 1997; Hirata, 1997; Antunes, 1999). Neste cenário, a questão do comprometimento do trabalho passa a ser discutida, revigorando o interesse pelaquestão do absenteísmo, um tema tradicional na gestão dos Recursos Humanos (ver, por exemplo, Clugston, 2000;Domagalski, 1999; Harrison, 1998).
A problemática do absenteísmo tem gerado muitas discussões a respeito de suas razões objetivas e subjetivas e vários campos do conhecimento têm sido chamados a contribuir para fazer avançar o entendimento de suas causas e incluem, especialmente,...
tracking img