Envelhecimento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1739 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A PREPARAÇÃO DA ALTA HOSPITALAR E A CONTINUIDADE DE CUIDADOS AO IDOSO
Papel do Assistente Social
V JORNADAS DE SAÚDE MENTAL NO IDOSO – 14 e 15 de Março de 2006

Carla Marvão
Hospital de S. João

ENVELHECIMENTO
O CONCEITO DE ENVELHECIMENTO DEVE SER ENTENDIDO COMO UM FENÓMENO DINÂMICO E

COMPLEXO, RESULTADO DE MUDANÇAS PROFUNDAS
AO NÍVEL BIO-PSICO-SOCIAL E RELACIONAL.

ENVELHECIMENTO• O Imperador Adriano nas ficcionais de Yourcenar, declara: memórias

“Em toda a minha vida confiei na sabedoria do meu corpo […] O meu corpo era sempre um com a minha vontade, com o meu espírito […] o camarada inteligente de outrora não é mais do que um escravo que resmunga pela sua tarefa.”

PROCESSO DE ENVELHECIMENTO
• TRÊS FASES:
 IDOSO- NESTA FASE NÃO EXISTEM GRANDES ALTERAÇÕESORGANICAS E O INDIVÍDUO ENCONTRA-SE CAPAZ DE SATISFAZER AS SUAS NECESSIDADES.  SENESCÊNCIA – O INDIVÍDUO PASSA A SOFRER ALTERAÇÕES NA SUA CONDIÇÃO FÍSICA, OU DE OUTRA NATUREZA, HAVENDO NECESSIDADE DE CONFIAR EM TERCEIROS.  SENILIDADE – O INDIVÍDUO JÁ NÃO EXERCE A SUA FUNÇÃO COMO ORGÃO DE ADAPTAÇÃO, TORNANDO-SE QUASE DEPENDENTE PELO QUE NECESSITA DE CUIDADOS COMPLETOS

ENVELHECIMENTO EM PORTUGALO FENÓMENO DO ENVELHECIMENTO TEM VINDO A ASSUMIR PROPORÇÕES CONSIDERÁVEIS NAS ÚLTIMAS DÉCADAS

VALORES RELATIVOS 1991
0-14 ANOS 19,9% 15-24 ANOS 16,32% 25-64 ANOS 50,08% 65 OU + ANOS 13,61% 0-14 ANOS 16%

2001
15-24 ANOS 14,29% 25-64 ANOS 53,36% 65 OU + ANOS 16,35%

VALORES ABSOLUTOS
1972403 1610836 494164 1342744 1656602 1479587 5526435 1693493

ESTRUTURA DEMOGRÁFICA DA POPULAÇÃOPORTUGUESA
 ALTERAÇÕES: - ENVELHECIMENTO PELO TOPO – Decorrente do aumento da população idosa - ENVELHECIMENTO PELA BASE – Diminuição da população jovem  TENDÊNCIA QUE SE IRÁ VERIFICAR, SEGUNDO PROJECÇÕES DO I.N.E. ATÉ 2050 – O peso da população de 80 e mais anos de idade triplicará de 3,8% para 10,7% .

Envelhecimento
 “… A velhice necessita de ser tratada com um pouco mais de ternura…”Montaigne  “E a mãe dos seis filhos […] é agora novamente mãe de um filho tardio, inesperado, terno e grato. E os filhos são agora uma mão cheia de avós perguntando como ele está, se come se dorme, se anda se tem febre ou tosse, como vive, como vivem os dois. E, secretamente temem pelo dia em que as suas perguntas já não terão resposta” João Lobo Antunes

OS IDOSOS COMO GRUPO VULNERÁVEL
Associadoà dependência:
Dos familiares Dos amigos Da rede social de suporte formal e informal

Conceito de dependência associado:
 Às alterações fisiológicas: - diminuição da capacidade física

- diminuição da capacidade mental
- diminuição da capacidade funcional

 Às alterações sociais e económicas:
- isolamento social

- diminuição das condições económicas

Dependência
• Associadaà hospitalização:
• Idoso
Agudização da dependência Risco de infecções hospitalares

Hospital
Aumento dos custos hospitalares

Desgaste psicossocial do idoso

Inflaciona o nº de internamentos e reinternamentos

Papel dos Assistentes Sociais
• Integram as equipas multidisciplinares
• Cooperam no cumprimento dos planos de cuidados • Prestam apoio psicossocial e coordenamproactivamente a ligação com todos os serviços prestadores de cuidados necessários ao doente • Constituem uma referência importante no percurso do doente nos Serviços prestadores de cuidados médicos, de enfermagem, de educação, de reabilitação e sociais • Sempre que possível potenciam a criação de novos recursos.

Intervenção do Assistente Social
• Identificar o mais cedo possível as necessidades decuidados pós-alta;


• •

Garantir a continuidade de cuidados preferencialmente no domicílio muito embora possam também ser prestados pela rede social de suporte formal
Assegurar a disponibilidade dos recursos materiais e humanos dirigidos ao utente; Desenvolver com a participação do doente e seus familiares, o plano de cuidados apropriado de modo a minimizar-se o risco de (re)internamentos e...
tracking img