Ensinar gramática ou não, eis a questão!

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2977 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Ensinar Gramática ou não, eis a questão!

Fabiane Zucon[1]
Tatiane da Silva Skora[2]
Orientadora Profa. Dra Glaucia da Silva Brito

RESUMO:

O presente artigo tem como intuito mostrar, através da visão de diferentes autores, posicionamentos e sugestões a respeito do ensino de gramática na escola. Para atingir tal objetivo, foi utilizada a metodologia bibliográfica para que se pudesseestudar o melhor modo de o professor ministrar as aulas de gramática, sem que para isso tenha a necessidade de mostrar a língua de modo inatingível ao aluno.. O ensino da gramática deve sim ser apresentado ao aluno já que é uma regra a qual todos devem seguir em determinadas ocasiões, e, cabe aos professores, tornarem-se unânimes na maneira de como serão repassadas as regras aos alunos, de modo queseja de forma prazerosa e sem deixar longe do alcance real dos alunos.


PALAVRAS-CHAVE: Gramática, Professor, Ensino


INTRODUÇÃO


Sempre que pensamos no ensino de gramática, nos perguntamos como devemos ensinar para nossos alunos, qual o tipo de gramática é o mais adequado, tal preocupação não nos vem à toa, pois ao longo dos anos vemos que nossos alunos se interessam cada vez menospela língua portuguesa e vemos também que cada vez mais nossa norma dita “culta” está se perdendo no espaço. Para tentar desvendar o “mistério”, neste trabalho definiremos os diferentes tipos de gramática e mostraremos a visão de alguns especialistas no assunto.
Possenti (1996, p. 64) define três tipos de gramática: a gramática normativa, a gramática descritiva e a gramática internalizada.A primeira definição de gramática – conjunto de regras que devem ser seguidas – é a mais conhecida do professor de primeiro e segundo graus, porque é em geral a definição que se adota nas gramáticas pedagógicas e nos livros didáticos. (POSSENTI, 1996, p.64)


A gramática normativa é a que os professores de língua portuguesa julgam ser a mais correta, já que elaapresenta as regras utilizadas na linguagem padrão. Trata-se de um amontoado de regras, o qual, muitas vezes, nem mesmo os professores de língua dominam, mas necessitam ensinar a seus alunos por fazer parte do currículo educacional. (POSSENTI, 1996)

A segunda definição de gramática – conjunto de regras que são seguidas – é a que orienta o trabalho dos linguistas, cuja preocupação édescrever e/ou explicar as línguas tais como elas são faladas. Neste tipo de trabalho, a preocupação central é tornar conhecidas, de forma explícita, as regras de fato utilizadas pelos falantes – daí a expressão “regras que são seguidas. (POSSENTI, 1996, p.64)




A gramática descritiva é pouco conhecida pelos professores de língua portuguesa, uma vez nos cursos de graduação não tem seu estudoprivilegiado.


A terceira definição de gramática – conjunto de regras que o falante domina – refere-se a hipóteses sobre os conhecimentos que habilitam o falante a produzir frases e sequências de palavras de maneira tal que essas frases e sequências são compreensíveis e reconhecidas como pertencendo a uma língua. (POSSENTI, 1996, p.65)






A gramáticainternalizada tem como base, a hipótese levantada por Chomsky em 1959. De acordo com essa linha, todos os seres humanos já nascem com um saber interno, explicando assim os sons emitidos por crianças antes mesmo de seu convívio em sociedade. (CHOMSKY, 1959)
De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental (1998, p.5): “O papel fundamental da educação no desenvolvimento das pessoas edas sociedades amplia-se ainda mais no despertar do novo milênio e aponta para a necessidade de se construir uma escola voltada para a formação de cidadãos”.
. O mesmo documento (1990, p.7) traz ainda que é papel do professor:

conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se...
tracking img