Ensaio sobre o impressionismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1379 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Gestão Artística e Cultural
História das Artes Visuais

Impressionismo
Relação entre Pintura e Música







Viana do Castelo, 5 de Dezembro de 2009

Impressionismo: “Um instante de pura e irrepetível sensação visual. Feita de luz e cor, que revive na tela pela magia da pintura”

Comomovimento artístico, o impressionismo revolucionou não só a pintura mas também variadas artes. A sua génese deve-se a um grupo de jovens que no estúdio do fotógrafo Nadar, organizaram uma exposição. Das vários obras expostas encontrava-se a tela de Monet, intitulada “Impressão, sol nascente”, cuja pintura do sol na névoa da madrugada, deu a oportunidade a Louis Leroy (1812-1885), crítico parisiense,de ridicularizar as obras destes artistas, chamando-lhes “impressionistas”, cito “Selvagens obstinados, por preguiça ou incapacidade, não querem terminar seus quadros. Contentando-se com uns borrões que representam suas impressões. Farsantes! Impressionistas!

O desejo de se aproximar da natureza de forma estreita levou os impressionistas a desejarem retratar nas suas telas os reflexos que aluz do sol origina nas cores da natureza, dando estes origem às cores. Dependendo do ângulo de incidência do sol este modifica-as, daí a vontade que estes tinham de pintar ao ar livre e de excluir as cores herdadas do academismo (preto, castanho escuro), procurando assim uma pintura com uma técnica que reflectisse com qualidade o instante entendido como o conjunto do tema, da luz e da cor.

Apintura impressionista não tenta compreender o significado da vida, mas sim, reflectir a superfície da vida, esforçando-se por registar a beleza aparente tal com é vista sob diferentes luzes e tentando capturar o encanto do momento.

Este movimento cultural, fundado pelos pintores franceses, muito cedo começa a integrar-se nas correntes musicais e seria a própria França a assistir ao nascimento doimpressionismo musical.

Claude Debussy integrou neste campo as bases estéticas impressionistas “Nuages, Fêtes Sirenes” , em que tentou relacionar uma aproximação pessoal à natureza que também está presente em La Mer (1903-1905) e nos seus livros de prelúdios. Através da sua única ópera Pélleas et Mélisande (1902), tentou livrar-se da influência romântica de Liszt e dos conceitos sobre odrama musical de Richard Wagner.

Debussy trocou a eloquência do sentimento pela beleza sonora das palavras e pela sedução da imagem. A música passou a exprimir novas sensações, por meio de formas livres e ligeiras, evocando a natureza, a luz, as cores, a sombra. Os temas passaram a ser mais breves, menos densos. Muitas vezes, não resta da melodia mais que um fragmento.

Para Maurice Ravel, aestética impressionista não se manifesta de forma tão clara, mas está presente o suficiente para se poder definir este compositor como um membro deste movimento artístico. Os seus elementos impressionistas estão organizados com um critério tradicional, sem abandonar a tonalidade, pelo que se poderia definir como um “clássico impressionista”.

Manuel de Falla foi o mais importante compositor espanholimpressionista. Adicionou ao impressionismo francês, o ardor e a volúpia espanhola, os ritmos e a orquestração colorida que celebrizaram obras tais como “El Amor Brujo para piano e orquestra e El Sombrero de Três Picos, uma partitura para guitarra (homenagem a Claude Debussy)”

A música impressionista não possui, tal como na pintura linhas melódicas claras. Tal como aspinceladas espontâneas, as melodias são pouco angulosas e sensuais. O efeito sonoro é essencial no contexto da obra, várias vezes mais valorizada, que a própria melodia.

Estas duas artes têm uma relação de proximidade. A música, de Debussy, já com influências do jazz americano e da música negra, tendo como principal meio de expressão o piano, caracterizava-se por acordes relativamente simples, mas...
tracking img