Engenharia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3732 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A ARTE DOS ENIGMAS MATEMÁTICOS

Heitor Monteiro de Medeiros
heitormed@gmail.com
Daniella Lima Silva
daniellalimass@yahoo.com.br
LEMAT- UFPE




1. INTRODUÇÃO


É muito comum ouvirmos dos alunos o quanto é difícil aprender matemática. Essa afirmação nos traz algumas inquietações. O que é aprender matemática? Quando essa aprendizagem é significativa? Enquanto professores, quepapel devemos assumir no processo de ensino-aprendizagem desta disciplina? Que motivações se podem trazer para sala de aula?
Em consonância com a concepção construtivista, ao ensinar matemática devemos entender que o papel do professor é ajudar ao aluno a identificar os conhecimentos matemáticos como meios para compreender e transformar o mundo à sua volta, percebendo o caráter de jogointelectual, característico da matemática, como aspecto que estimula o interesse, a curiosidade, o espírito de investigação e o desenvolvimento da capacidade para resolver problemas.
No contexto da educação matemática, um problema, ainda que simples, pode suscitar o gosto pelo trabalho mental se desafiar a curiosidade e proporcionar ao aluno o prazer pela descoberta da resolução. Neste sentido, osproblemas podem estimular a curiosidade do aluno e fazê-lo interessar-se pela matemática.
Ensinar matemática é desenvolver o raciocínio lógico, estimular o pensamento independente, a criatividade e a capacidade de resolver problemas. Como educadores matemáticos, devemos procurar alternativas para aumentar a motivação para a aprendizagem, desenvolver a autoconfiança, a organização, concentração,atenção, raciocínio lógico-dedutivo e o senso cooperativo.
Na linha dessas idéias seguem pensamentos tais como o de Ausubel (1978), segundo o qual, o principal no processo de ensino é que a aprendizagem seja significativa. Isto é, o material a ser aprendido precisa fazer algum sentido para o aluno. Isto acontece quando a nova informação “ancora-se” nos conceitos relevantes já existentes naestrutura cognitiva do aprendiz.
O aluno precisa ter uma disposição para aprender, ou seja, o autoconceito que ele possui deve estar receptivo para a proposta da atividade, que por sua vez deve ter sentido para o mesmo.
Segundo Borin (1996) ao trabalharmos com a matemágica e curiosidades no ensino da matemática tem - se o objetivo de fazer com que os alunos gostem de aprender estadisciplina, mudando a rotina da sala de aula e permitindo a formulação de problemas desafiantes que incentivem o aprender mais.
De acordo com Imenes (1988) as experiências vivenciadas pelos alunos são importantes na construção do sentimento da matemática.
Moura (1991) afirma que a matemágica aproxima-se da matemática via desenvolvimento de habilidades de resoluções de problemas.
A matemágicaé encarada como uma estratégia em que o professor propõe ao aluno desafios interessantes, caracterizados por investigação e exploração de alguns conceitos matemáticos. Nessa metodologia, o aluno pode formular problemas, tornando a matemática um conhecimento mais próximo dele mesmo.
Nessa intenção, a matemágica, aqui é definida como o prazer de aprender matemática trazendo mais uma maneirainteressante de abordar assuntos, tais como: divisibilidade, propriedades das operações numéricas e mudança de base, além de revisitar alguns aspectos do sistema de numeração decimal.
Neste mini-curso possibilitaremos o despertar da formação de atitudes na aprendizagem matemática, através de truques e desafios envolvendo manipulações numéricas, apresentando curiosidades que estimulem a busca desoluções, o exercício da criticidade e da intuição e a criação e recriação de estratégias.


2.DESAFIOS PROPOSTOS






Abaixo estão algumas atividades que serão vivenciadas durante este mini-curso. A metodologia utilizada será na forma de oficina, onde permitiremos aos participantes agirem como “alunos-em-ação”, ou seja, alunos no processo de ensino-aprendizagem.



2.1....
tracking img