Engenharia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1273 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de fevereiro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE CATOLICA DOM BOSCO

LABORATÓRIO DE METROLOGIA

Engenharia Mecânica – 5º Semestre 2008 A

Aula Prática n°: ____ Data: ___/___/___

Objetivos: Tecnologias na medição de roscas externas______________________

Integrantes do grupo: ____________________________________________________________________________________________________
__________________________________________________
__________________________________________________

MEDIÇÃO DE ROSCAS EXTERNAS

1 – OBJETIVO
Este procedimento tem por objetivo descrever um roteiro e os métodos para verificações das medidas, utilizado naidentificação e avaliação simplificada de elementos roscados externos, na modalidade de Controle Dimensional.

2 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA
- Norma ABNT – NBR 6165 – Temperatura de referência para medições industriais de dimensões lineares – Padronização
- Portaria Nº 29 de 1995 do INMETRO - Vocabulário Internacional de Termos Fundamentais e Gerais de Metrologia (VIM)
- Norma ABNT NBR 5876/1988 -Roscas – Terminologia
- Norma ABNT NBR 9527/1986 – Rosca Métrica ISO – Procedimento
- Norma ABNT CB 206/1991 – Tipos e Aplicações
- Norma ASME B1.5 : 1997 – Roscas ACME
- Norma ASME B1.1 : 1989 – Roscas Unificadas
- Norma British Standard 93 : 1951 – Roscas B.A.
- Norma British Standard 84 : 1956 – Roscas B.S.W. e B.S.F.
- Norma DIN 13 – Roscas Métricas
- Norma DIN 103 – Roscas Trapezoidais- Norma DIN ISO 228-1 : 1994 – Roscas G

3 - TERMINOLOGIA
- RBC: Rede Brasileira de Calibração formada por laboratórios credenciados pelo INMETRO para realizar calibrações conforme escopo de credenciamento.

4 – INSTRUMENTOS
- Micrometro externo
- Arames para medição de roscas
- Pentes de roscas

5 – GRAU DE APLICAÇÃO
As roscas podem ser avaliadas em vários graus de detalhamento, emfunção da aplicação, da finalidade e das características das roscas.
Como exemplo de aplicação, finalidade e características, pode-se citar: as roscas extrafinas, indicadas para apertos locais sujeitos a vibrações, como em aeronaves; roscas trapezoidais ou mistas para transmissão de movimento, como as empregadas em máquinas operatrizes; roscas cônicas para transmissão de movimento, transmissãode torque, transmissão de flexão, aperto e vedação, como as roscas de tubos de perfuração, etc.
Roscas especiais podem exigir a medição da rugosidade superficial, classe de tolerância e ajuste com folgas mínimas, teste de estanqueidade, emprego de calibradores, medição do semi-ângulo de flanco, medição do passo, etc.
Este procedimento é um método básico de medição, onde são feitas mediçõesbásicas nas dimensões principais das roscas.

6 – ROTEIRO DE AVALIAÇÃO

6.1 – PREPARAÇÃO
- Limpeza – utilizar solvente com pano alvejante branco para limpeza tanto das roscas como dos instrumentos de medição.

- Exame Visual – o exame da peça roscada consiste em fazer um controle visual, verificando desgastes ou danos que comprometam a verificação. Verificar se o elemento roscado possui cantosvivos, rebarbas, oxidações, se os filetes não se encontram amassados ou quebrados. Caso constatado algum dano, anotar no registro de medição.
- Estabilização da Temperatura – Colocar as peças a serem medidas juntamente com os padrões sobre a mesa de medição para estabilização da temperatura (mínimo 1 hora). A temperatura do ambiente, das peças e dos instrumentos empregados, deve ser de 20 ± 2 ºC everificada com um termômetro de resolução máxima 1 ºC.
- Verificação da calibração dos padrões – os padrões e instrumentos utilizados devem estar calibrados por laboratórios da RBC.

6.2 – MEDIÇÃO DO DIÂMETRO EXTERNO
Posicionar a peça com roscado externo entre os contatos de medição do micrômetro externo e fazer a apalpagem, observando seu alinhamento e se a medição está ocorrendo...
tracking img