Engenharia do produto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 24 (5859 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Filosofia e mito |
A filosofia surge do mito e a ele se opõe, o mito opera com a representação e a filosofia com o conceito. A filosofia grega começa a brotar dentro da mitologia grega, que é a religião grega. Na Odisséia, Ulysses orientado pela deusa Atena, símbolo da sabedoria, é conhecido por ser racional diante dos problemas que se apresentam na sua epopéia. À medida que a razão seafirma, passa a opor-se à explicação mitológica. Os primeiros filósofos sofreram dura perseguição religiosa, apesar da tradição de tolerância do paganismo grego. Anaxágoras fugiu de Atenas, pois ousou duvidar que a lua fosse uma deusa e afirmar que via nela mares e montanhas. O mesmo aconteceu com Sócrates, morto sob a acusação de impiedade. Aristóteles exilou-se para não sofrer idêntico castigo,pois não aceitava afirmações como a de que o titã Atlas sustentava a terra e o céu, atribuindo-as “à ignorância e a superstição”[1] do povo grego. O período da Idade Média propiciou um ressurgimento da religião e uma decadência do pensamento filosófico. O cristianismo substitui a religião pagã e a filosofia tornou-se uma auxiliar do processo de catequese, uma escolástica, um método de argumentação.O platonismo e o estoicismo foram incorporados, em parte, à filosofia cristã, fundamentada no filósofo alexandrino Fílon[2]. O combate entre neoplatônicos e cristãos foi acirrado, como testemunha, por exemplo, o assassinato da matemática e filósofa neoplatônica, Hypatia, por fundamentalistas cristãos comandados pelo bispo Cirilo[3]. Posteriormente, Aristóteles também foi absorvido pelopensamento cristão através da leitura de São Tomás de Aquino. Subsistiu, à margem das instituições feudais, o materialismo através da alquimia. Com o renascimento, a revolução industrial e a modernidade, retornou-se à filosofia clássica, grega, e, novamente foi feroz a crítica à religião dominante daquele tempo, que era o cristianismo, inicialmente como catolicismo e depois também como protestantismo.Neste combate sofreram pensadores como, por exemplo, Descartes, Kant e Hegel. Descartes renunciou à publicação do seu livro “Tratado do Mundo e da Luz” depois que soube da condenação de Galileu. E, segundo o consultor José Américo da Motta Pessanha[4], depois deste fato: “toda a obra posterior do filósofo ficará até certo ponto mutilada ou deformada: Descartes apresentar-se-á como um “filósofomascarado” (segundo sua própria expressão), passando a se exprimir de forma freqüentemente embuçada e ambígua, para garantir a tranqüilidade de sua vida e evitar a repressão da Igreja.”.  Kant teve seus livros proibidos pela Igreja Católica. Hegel[5] temia os “homens de sotaina” como declarou quando viajou a Paris em carta de 12-10-1827 à sua mulher: “visitei essas universidades como lugares ondeeventualmente posso buscar refúgio, caso os homens de sotaina venham a tornar insuportável nossa permanência no Kupfergraben”. Ele fez críticas ao “milagre da transubstanciação”[6] e teve que se explicar com as autoridades. |
Wellington de Lucena Moura |
Nota do Autor: Texto suprimido de uma dissertação.acadêmica |
 

[1] MARX, K. Diferença da Filosofia da Natureza de Demócrito ede Epicuro. Tradução de Conceição Jardim e Eduardo Lúcio Nogueira. Lisboa, Editorial Presença. 1972, p 204. Para facilitar passaremos a nos referir a este livro como DIFERENÇA.
[2] Ver o artigo de Engels, Bruno Bauer e o início do cristianismo, anexo a esta dissertação
[3] Depois canonizado como São Cirilo.
[4] No volume DESCARTES, Coleção “Os Pensadores”. S. Paulo: Abril Cultural, 1983. PXIII.
[5] KONDER, L. HEGEL: a razão quase enlouquecida. Rio de Janeiro: Campus. 1991.   P 73.
[6] Para Hegel e outros cristãos protestantes a eucaristia era um ritual no qual se usava pão e vinho, simbolicamente, como corpo e sangue de Cristo, enquanto para os católicos há uma transformação real do pão e do vinho em carne e sangue, denominada transubstanciação.

Mito e filosofiaContinuidade ou...
tracking img