Enfermagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1283 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

O descolamento prematuro é a separação da placenta (o órgão que nutre o feto) de sua ligação com o útero antes de o bebê nascer.
Quando ocorre um descolamento, o suprimento de oxigênio e de nutrientes para o bebê pode ficar comprometido e pode ocorrer um sangramento grave, perigoso tanto pra a mãe como para o filho. Esse tipo de condição aumenta o risco de o bebê ter problemas paracrescer dentro do útero (se o rompimento é pequeno e passa despercebido), de nascer prematuramente ou até, em casos extremos, de não sobrevive.
O descolamento de placenta é mais comum no 3º trimestre da gestação, embora possa parecer em qualquer ponto da gravidez, depois da 20ª semana de gestação.
Na maioria dos casos, há sangramento vaginal, que pode variar de uma pequena quantidade até umjato repentino e mais volumoso. O problema é que algumas mulheres o sangue fica retido no útero, atrás da placenta, e não dá para perceber nada. Um sangramento não necessariamente vem do útero, ele pode ocorrer na região vaginal ou do colo do útero e ser proveniente de algum tipo de infecção, laceração, pópilo ou outras causas.
Se a gestante estiver perto da data prevista para o parto, ele vaiser adiantado, mesmo que não seja grande, para que a placenta não se solte ainda mais, na maioria dos casos é feita uma cesariana. Se o deslocamento for pequeno, mas o bebê ainda muito prematuro (menos de 28 semanas) é possível que os médicos tentem esperar um pouco mais, desde que a mãe e o bebê estejam bem. É sempre uma questão de medir os riscos de o deslocamento piorar contra os de um bebênascer prematuro demais. Muitas vezes os médicos acabam passando remédios como corticoesteróides para ajudar no amadurecimento dos pulmões do bebê, dependendo do caso, se for mais leve a gestante apenas ficará de repouso, sem muito esforço.
Não se sabe com certeza o que leva à maioria dos descolamentos de placentas, mas esse tipo de condição é mais comum em mulheres que:
* Já tiveram descolamentoem gestações anteriores (caso tenha ocorrido em duas ou mais gestações o risco ainda é maior);
* Mulheres com hipertensão crônica, hipertensão gestacional ou pré-eclâmpsia;
* Tem rompimento de bolsa prematuro;
* Excesso de liquido amniótico (hidrâmnios ou polidrâmnios);
* Gestantes que tiveram sangramento prévio na gestação;
* Gestantes grávidas de gêmeos ou mais;
*Fumante ou usuárias de cocaína;
* Algum tipo de anomalia uterina;
* O risco aumenta também com a idade da gestante;

SINAIS E SINTOMAS

* O sangue é vivo e escorre independente de esforço físico da mãe;
* Normalmente se agrava na presença de contrações;
* Os batimentos cardio fetais inicialmente não estão alterados, mas dependendo da progressão do sangramento e da sua extensão, ofeto começa a mostrar sinais de sofrimento;

Se o sangue ficar totalmente contido entre a parede uterina e a placenta, pode provocar:

* Grande dor abdominal;
* Uma contratura muscular importante, a qual denominamos “adbominal em tábua”, devido a rigidez da parede abdominal;
* A queda da pressão arterial é progressiva, devido a hipovolemia, bem como os sinais de choquehipovolêmico;
* O bloqueio do sangue intra-úterino pode liberar tromboplastina na circulação materna, o que pode provocar o risco de coagulação intravascular disseminada (CIVD) na mãe.

DIAGNÓSTICO

Os diagnósticos podem ser através de exames como:

* Ultrassonografia abdominal;
* Hemograma completo;
* Monitoramento fetal;
* Exame pélvico;
* Nível de fibrinogênio;
* Tempoparcial de tromboplastina;
* Tempo de protombina;

TRATAMENTO

O tratamento pode incluir líquidos intravenosos e transfusão de sangue. Uma cesariana de emergência poderá ser necessária, se o bebê for muito prematuro e houver apenas uma pequena separação de placenta, a mãe poderá ficar em observação no hospital por um tempo, ela poderá ter alta em alguns dias se o problema não agravar. Caso o...
tracking img