Enfermagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2475 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Migração e hanseníase em
Mato Grosso
Migration and Hansen’s disease in
Mato Grosso

Maria da Conceição Cavalcanti MagalhãesI
Emerson Soares dos SantosII
Maria de Lourdes de QueirozIII
Messias Lucas de LimaIII
Rita Christina Martins BorgesIII
Maria Silva SouzaIII
Alberto Novaes RamosIV
I

Secretaria Executiva do Ministério da Saúde – Brasília (DF), Brasil

II

Departamento deGeografia da Universidade de São Paulo – São Paulo (SP), Brasil

III

Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso – Cuiabá (MS), Brasil

Departamento de Saúde Comunitária da Faculdade de Medicina da
Universidade Federal do Ceará – Fortaleza (CE), Brasil
IV

Trabalho realizado na Oficina de Pesquisa Operacional em Serviços de Saúde, promovida pelo
Ministério da Saúde, Universidade Federaldo Ceará e Netherland Leprosy Relief (NLR).
Fonte de financiamento: nenhuma.
Correspondência: Maria da Conceição Cavalcanti Magalhães – SQS 205, Bloco I, Apto. 606, Asa
Sul – CEP: 70295-050 – Brasília (DF), Brasil – E-mail: mariac.magalhaes@uol.com.br
Conflito de interesse: nada a declarar.

Rev Bras Epidemiol
2011; 14(3): 386-97

386

Resumo
Trabalhos de geografia médica sobrehanseníase discutem o papel da ocupação dos
territórios como fundamento da permanência de focos leprógenos. No Brasil, os
Estados que apresentam as mais altas taxas
de detecção, historicamente, se localizam
na região amazônica, o que evidencia uma
desigual evolução regional da doença. Este
trabalho analisa a evolução da hanseníase
contextualizando os processos migratórios
que ocorreram no Estadode Mato Grosso a
partir da segunda metade do século XX. O
crescimento econômico ocorrido no Estado
nas décadas de 1970, 1980 e 1990 provocou
taxas de crescimento populacional maiores que a média nacional. Os dados analisados permitem uma associação entre o
crescimento e dispersão dos coeficientes
de detecção da hanseníase com o processo
de ocupação do território mato-grossense.
Entretanto,a permanência da hanseníase
em municípios da Baixada Cuiabana, assim
como em outros municípios que sofreram
perda de população, parece apontar a existência de contextos geográficos de diferentes vulnerabilidades à produção social da
doença. A migração explicaria a instalação
e evolução da hanseníase, entretanto consideramos que a manutenção da endemia
pode estar associada a fatorescontextuais
relacionados com o ambiente.
Palavras chave: hanseníase; migração; taxa
de detecção; análise espacial; ambiente; sistemas de informação geográfica.

Abstract

Introdução

Studies on medical geography about leprosy discuss the role of the detailed report
of the occupation of the territories as a basis
of the permanence of leprosy focus. In Brazil, the states that present the highestrates
of detection historically are in the Amazon
region, which shows an uneven regional
evolution of the disease. This paper analyzes the evolution of leprosy contextualizing the migratory processes that occurred
in the State of Mato Grosso since the second half of the 20th century. The economic
dynamism that occurred in the State in the
1970s, 1980s and 1990s caused population
growthrates higher than the national average. The data analyzed permitted an association between the evolution of leprosy and
the process of occupation of the mato-grossense territory. However, the permanence
of leprosy in the municipalities of the Baixada Cuiabana, as well as in other municipalities that lost population, seem to point
to the existence of geographic contexts of
different vulnerabilityto the social production of the disease in the tate. The migration
would explain the appearance and evolution of leprosy. However, we consider that
the maintenance of the endemic can be
associated to contextual factors related to
environment.

A hanseníase se mantém como um
importante problema de saúde pública no
Brasil; o país diagnostica 90,0% dos casos
das Américas, e no mundo é o...
tracking img