Enfermagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4463 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SAÚDE DO IDOSO II


OSTEOPOROSE


A osteoporose é definida como uma doença sistêmica progressiva que leva à uma desordem esquelética, caracterizada por força óssea comprometida, predispondo a um aumento do risco de fratura. Força óssea, primariamente, reflete integração entre densidade e qualidade óssea. A osteoporose é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a“Epidemia Silenciosa do Século”, e atualmente um problema de saúde pública no mundo inteiro devido ao aumento na expectativa de vida das populações. É uma doença de grande impacto devido à sua alta prevalência e grande morbimortalidade. Afeta indivíduos de maior idade, de ambos os sexos, principalmente, mulheres na pós-menopausa, que também apresentam mais fraturas.
No Brasil, somente uma acada três pessoas com osteoporose é diagnosticada e, dessas, somente uma em cada cinco recebe algum tipo de tratamento, com uma taxa anual de aproximadamente 100 mil fraturas de quadril. Cerca de 10 milhões de brasileiros (as) sofrem com osteoporose e 24 milhões de pessoas terão fraturas a cada ano, sendo que 200 mil indivíduos morrerão como consequência direta de suas fraturas.
As fraturasde corpos vertebrais e de quadril são as complicações mais graves. A mortalidade das pessoas com fratura de quadril é de 10 a 20% em seis meses. Do restante, 50% precisará de algum tipo de auxílio para deambular (caminhar) e 25% necessitará de assistência domiciliar ou internação em casas geriátricas.

Etiologia

A instalação da osteoporose resulta de anos de perda óssea. Pode serclassificada em primária, que não apresenta causa bem definida; e secundária, quando é decorrente de uma causa bem definida, como:

Quadro 1: POSSÍVEIS CAUSAS DE OSTEOPOROSE SECUNDÁRIA







[pic]

Uma formação óssea adequada nas duas primeiras décadas de vida é fundamental para se evitar a osteoporose, sendo que o pico da massa óssea é atingido entre a adolescência e os 35 anos deidade, sendo 20 a 30% maior nos homens e 10% maior nos negros. A genética contribui com cerca de 70% para o pico de massa óssea, enquanto o restante fica por conta da ingestão de cálcio, exposição ao sol, exercícios físicos e época de puberdade - aproximadamente 60% da massa óssea são formados durante o desenvolvimento. Alguns anos após a formação óssea máxima, inicia-se uma redução progressiva, comuma média de perda de 0,3% ao ano para os homens e 1% ao ano para as mulheres. Na pósmenopausa ocorre uma diminuição acelerada da massa óssea, a qual pode ser até 10 vezes maior do que a observada no período de pré-menopausa, sendo que nos primeiros 5 a 10 anos que seguem a última menstruação, essa perda pode ser de 2% a 4% ao ano para osso
trabecular e de 1% ao ano para o osso cortical.Fatores de Risco para Osteoporose e Fraturas Ósseas

Os fatores de risco para osteoporose e fraturas ósseas podem ser divididos em maiores e menores.
Quadro 2: Fatores de risco para osteoporose e fraturas ósseas maiores e menores











Diagnóstico da Osteoporose

História clínica

É fundamental a história clínica minuciosa com investigação dos fatores de risco para aosteoporose e para fraturas. Deve-se considerar a avaliação de mulheres na pós-menopausa que apresentam um ou mais fatores de risco citados anteriormente e após os 65 anos independentemente da presença de fatores de risco. Uma boa história clínica e o exame físico são especialmente úteis para excluir as causas secundárias. A osteoporose é uma doença assintomática, e geralmente o primeiro sinal é afratura, que representa o agravamento da doença, sendo as mais frequentes as da coluna lombar, colo do fêmur e 1/3 médio do rádio.

Exame físico

Os seguintes itens são de fundamental importância na avaliação de pessoas com osteoporose:


• Estatura.
• Peso corporal.
• Hipercifose dorsal.
• Abdômen protuso.
• Outras deformidades esqueléticas.
• Sinais físicos...
tracking img