Enfermagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1567 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Artigo de Revisão

A nomenclatura anatômica e sua importância
The anatomical nomenclature and its importance
José Henrique Busetti, Marlene Pereira Busetti
Recebido: 22/11/2004 Aprovado: 11/11/2005

Unitermos
Nomes anatômicos; órgãos; sistemas orgânicos; anatomia humana.

Keywords
Anatomical names; organs; organic systems; human anatomy.

A nomenclatura anatômica e suaimportância
A Anatomia Humana é uma ciência antiga, sendo algumas vezes referida como a “velha anatomia“. Com o posterior melhor desenvolvimento dos conhecimentos científicos, através dos séculos, surgiu também o estudo dos animais que mais tarde se transformou no estudo da Zoologia1-5. Os relatos anatômicos humanos iniciaram-se com o surgimento dos próprios hominídeos e ainda hoje se encontram naFrança e na Alemanha desenhos representativos dos homens e animais dessa época e das suas caçadas. Esta anatomia inicial tinha grande representação de atos místicos e da melhor maneira de se produzir ferimentos em animais durante as caçadas grupais para a obtenção de “carne” para o clã6. Esse período compreende uma época de aproximadamente vinte e oito mil anos1,3,4,6. No Brasil, essas figurasrupestres encontradas desenhadas com óxido de cobre, em grutas do Nordeste, datam de nove há vinte e três mil anos.

Após essas expressões humanas iniciais, surgiram antigas civilizações como a Mesopotâmica, entre os rios Tigre e Eufrates, hoje parte do Iraque, na qual as dissecações humanas tinham caráter religioso, procurando-se a sede da alma, que localizaram no fígado7. Já na civilizaçãoegípcia, o avanço anatômico também não foi muito destacado, embora fosse hábito a conservação dos corpos pelo processo de embalsamamento que era realizado por indivíduos chamados “parachistas”, os quais apesar de sua nobre missão “divina”, cheiravam mal e para complicar mais ainda a situação desses preparadores cadavéricos, algumas pessoas associavam a retirada de órgãos com atividades demoníacas fazendocom que exprimissem tal aversão à população que quando os via faziam-nos 2 correr com pedradas e às vezes os matavam . Essa anatomia quase nada tinha de científica e sim com a religião egípcia que acreditava
Disciplina de Anatomia da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC).

na preservação do corpo e da alma para a outra vida que viria após a morte, quando os mortos despertariam do seu sono damorte e voltariam novamente a ter vida para em seguida novamente adormecerem no sono dos que já se foram, e assim sucessivamente durante séculos2,7. No processo de mumificação, restava somente o aparelho locomotor que era mumificado, sendo as vísceras retiradas e conservadas em potes chamados “puticuli”2. O estudo do corpo humano com finalidade científica iniciou-se aproximadamente quinhentos anosantes de Cristo com 6 Alcmeon da colônia grega de Cróton, na Itália meridional e foi posteriormente, pouco a pouco, desenvolvido por pesquisas e pesquisadores que se foram sucedendo, procurando-se separar as crendices e misticismos da verdadeira concepção científica das estruturas, órgãos e tecidos até o século III antes de Cristo, em Alexandria com Herophilo (o pai da anatomia) e Erasistrato (opai da fisiologia)2,3,6. A aquisição desses conhecimentos durante os séculos seguintes foi grandemente dificultada; por exemplo, na Idade Média, “a idade das trevas”, havia vários dogmas religiosos que impediam o estudo interno do corpo humano dizendo-se que: “não era lícito observar-se o corpo humano por dentro“, chegando-se inclusive a várias proibições, como a do “Tribunal da Santa Inquisição“,que julgava como hereges e bruxos todos os que não aceitassem as orientações eclesiásticas da Igreja Cató2,5,6 lica . Nessa época vários indivíduos que iniciaram estudos em ramos diferentes das ciências físicas e das biológicas, em pontos diferentes da Europa, foram julgados e condenados a serem queimados vivos em praças públicas, pois foram considerados bruxos e, pelo que se sabe, por todo o...
tracking img