Enf electro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 43 (10738 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CURSO BÁSICO DE ELETROCARDIOGRAFIA
EM 10 LIÇÕES
Dr. J. B. Legatti

1ª LIÇÃO
I - MECANISMO DA CONTRAÇÃO CARDÍACA
Para se interpretar um eletrocardiograma, cumpre saber que
um eletrocardiógrafo é um galvanômetro registrador da diferença de
potencial elétrico entre as duas regiões sobre as quais foram aplicados
os eletrodos,
As correntes elétricas que chegam a esses eletrodos provêm
docoração, uma vez que cada fase da revolução cardíaca é precedida e
acompanhada de fenômenos elétricos que se difundem por todo o
organismo.
Durante a diástole, o miocárdio não exerce qualquer
atividade elétrica, visto possuir, em suas camadas superficiais, carga
elétrica positiva igual a carga negativa de suas camadas profundas.
Nesse caso, fala-se que o miocárdio ventricular está polarizado.sístole
Entretanto,
ao
sobrevir
uma
ventricular,
imediatamente começam a diminuir as cargas elétricas, tanto as
superficiais como as profundas, desaparecendo após alguns centésimos
de segundo. Dessa forma, o miocárdio ventricular se despolariza com a
sístole. Assim que o miocárdio ventricular se despolariza, começa
imediatamente a repolarização, que termina antes mesmo do início dadiástole. Na diástole não existe atividade elétrica no coração.
Precedendo cada contração mecânica, espalha-se pelo
coração uma onda de despolarização elétrica. A despolarização começa
no nódulo sinusal, ou nódulo sino-auricular de KEITH e FLACK,
depois propaga-se pelo miocárdio de ambas as aurículas, para atingir o
nódulo aurículo-ventricular de TAWARA, localizado na região inferior

1

dosepto inter-auricular. Após ligeira demora no nódulo aurículoventricular, a onda de despolarização se transmite através do

Nódulo
Sinusal

Nódulo
A-V
His

RE
RD

Esquema do sistema de condução intracardíaco

feixe átrio-ventricular, o feixe de HIS, e de seus ramos esquerdo e direito
para o tecido de PURKINJE situado debaixo do endocárdio,
continuando-se com as fibras miocárdicascomuns. Segue-se contração
ventricular e, após isso, os ventrículos retornam a seu estado original
por uma onda de repolarização.
Estas ondas de excitação e recuperação envolvem o
movimento de pequenas correntes elétricas na intimidade do ambiente
microscópico das membranas que circundam as células miocárdicas.
Todavia, movimentos de correntes elétricas dentro do coração dão
origem a umcampo elétrico cambiante, que se estende para a superfície
corporal. O eletrocardiograma é um registro do potencial cambiante na
superfície corporal, causado pelo movimento da corrente elétrica dentro
do coração.

2

II- COMPONENTES INDIVIDUAIS DO ELETROCARDIOGRAMA
A onda P representa a despolarização atrial. No
eletrocardiograma normal, é a pequena deflexão inicial de cada ciclo
cardíaco.Tem ápice arredondado, com duração normal que varia de
0,09 a 0,11 s, e a sua altura pode atingir até 2,5 mm.

Deflexões do eletrocardiograma, durante um ciclo cardíaco.

O complexo QRS são as rápidas deflexões produzidas
durante a despolarização dos ventrículos. A deflexão ascendente é a
onda R. Qualquer deflexão descendente que preceda a onda R é
chamada de onda Q, e qualquer deflexãodescendente que se suceda à
onda R é chamada de onda S. A sua duração normal (do início de Q ao
fim de S) não pode passar de 0,09 s, e a sua amplitude é superior a
5 mm, porém não pode ultrapassar 20 mm, em condições normais. A
amplitude do acidente QRS, sua presença ou ausência é função da
direção do eixo elétrico e da rotação do coração (explicada na lição
seguinte).
O intervalo PR ou PQvai do início de P ao início de R ou de
Q. É uma linha horizontal, cuja duração normal varia de 0,12 a 0,18 ou
0,20 s.
No Coração humano, a repolarização ventricular ocorre na
mesma seqüência que a despolarização. A onda T do eletrocardiograma
3

representa a repolarização ventricular, e é normalmente ascendente
naquelas derivações em que o complexo QRS é predominantemente
ascendente. A...
tracking img