Endividamento das familias brasileiras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1096 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Endividamento das famílias brasileiras


INTRODUÇÃO



Com a linha de crédito mais acessível para os consumidores da classe C, as famílias brasileiras tem tido um comportamento financeiro muito complexo: Não fazendo o orçamento compatível ao que recebe e o que gasta. Compra-se muito pelo simples prazer, e não aquilo que é realmente necessário. São variados os motivos que levam aspessoas a gastarem mais do que ganham: A compulsão, cultura, os status entre outros.

Apesar de pesquisas mostrarem que a renda média mensal dos brasileiros aumentou e o desemprego está baixo, a inadimplência continua grande.

Segundo pesquisa publicada no Jornal Gazeta de 28 de outubro de 2012, no mês passado, o percentual de famílias com dívidas ficou em 23%. Afacilidade de acesso ao crédito principalmente do cartão de crédito, o apelo ao consumo e, principalmente, a falta de planejamento tem levado muitas famílias brasileiras ao endividamento atrapalhando com isto o orçamento doméstico.

É preciso repensar atitudes e caminhos para que o problema seja solucionado.






























DesenvolvimentoO endividamento ocorre em função de vários fatores como a mídia, a publicidade é grande e a facilidade de compra principalmente no cartão de crédito que é considerado um grande vilão que leva o brasileiro a adquirir mais bens não duráveis como celulares de alta tecnologia, notebooks, fazendo com isso que ele comprometa sua renda familiar. Os bancos e lojas oferecem crédito de maneirasimples e prática seduzindo com isso os clientes, mas crédito fácil não é sinônimo de crédito barato. A compulsão, às vezes o desemprego também levam a inadimplência.

A maioria dos brasileiros usa o limite do cheque especial fazendo disso pagamento, usam também o cartão de crédito estouram seu limite e vão pagando só o mínimo e, isso vai tornando-se uma bola de neve.

Os jovens quandopegam seu primeiro cartão de crédito sente-se imponente e querem demonstrar status, comprometendo boa parte de sua renda, não equilibrando seus gastos.

Segundo Morin (2008), mais que a manipulação, precisamos estudar e compreender a relação da mídia com nossos imaginários.

Há pouco tempo atrás tínhamos no Brasil um cenário de uma elevada inflação, crédito e compras parceladaseram quase impossíveis, hoje este acesso tornou-se mais fácil, porém o consumidor ainda não sabe trabalhar corretamente com estas linhas de créditos, se ele tivesse realmente pensado e avaliado não teria feito contraído dívidas maiores que sua renda ele compra por impulso, imediatismo ou compulsão, por isso o orçamento doméstico é extremamente necessário já serem conhecidos, refletidos e utilizadospor essa geração que está chegando.

A redução de juros em financiamentos anunciada recentemente pelos bancos pode ser uma alternativa para quitar as dívidas mais altas. No entanto, especialistas alertam que, antes de contratar um empréstimo, a família precisa estudar cuidadosamente as taxas e se organizar para não contrair novos débitos.

O crédito seja na forma de oferta dedinheiro ou de financiamento de produtos e serviços é mercadoria altamente disponível e de fácil acesso atualmente, anunciada e agressivamente promovida pela televisão, rádio e jornal, alardeada em anúncio de toda ordem, através do telemarketing, propostas de cartão de crédito enviadas pelos correios e por abordagem de ruas.

Atualmente tudo pode ser financiado de uma forma ou de outra,crescem as instituições que operam com crédito, financiando vários produtos de todos os segmentos sociais. O crédito deixou de ser um recurso excepcional, tratando hoje como uma forma de gestão corrente do orçamento pessoal e familiar.

 Para o professor de finanças da Fundação Getúlio Vargas, Marco Cunha, "O brasileiro vem de uma fase que ele sempre sonhou em consumir. Passou a ter...
tracking img