Encontro com deus

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1651 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ORFANDADE
TÓPICOS
I- O QUE É ORFANDADE
II- AS CONSEQUÊNCIAS DA ORFANDADE
III- ONDE VOCE SE ENCAIXA
IV- A RESTAURAÇÃO DE DEUS
Introdução:
1- Saudação; perguntar se estão gostando; louvor; oração.
2- Falar acerca da ministração e seu propósito
I- O que é orfandade?
1- Definição: é a condição social de uma criançaapós o falecimento do pai ou da mãe, ou de ambos. (Art. 5º. Estatuto da Criança e do Adolescente) “Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.”
a- Órfão em decorrência da fatalidade da vida;
Omaior causador de orfandade em todo o mundo tem sido a AIDS. Órfãos da AIDS
O Brasil conta o número de crianças cujas mães morreram vítimas do HIV: 30 000 
Passadas quase três décadas de doença, o Brasil enfim conta seus pequenos desamparados. Entre 1987 e 1999, 30.000 crianças de até 15 anos perderam a mãe para a síndrome, mostra um estudo do Ministério da Saúde. O cenário é ainda maissombrio que o desvendado pelas estatísticas oficiais. O levantamento baseou-se nos registros de óbito por AIDS das mulheres que tinham filhos. Ficaram de fora as crianças obrigadas a viver longe da família porque a mãe ou ambos os pais, doentes, não têm como cuidar delas. Há no país cerca de200. 000 filho de mulheres portadoras do HIV. Três em cada dez são crianças cujas mães já desenvolveram a doença.Se a situação é dramática no Brasil, na África ganhou proporções de horror. Desde o início da epidemia, nos anos 80, a AIDS já fez 10,4 milhões de órfãos no continente africano. Uganda registra o índice mais alto do mundo: 1,1 milhões de crianças com menos de 15 anos. Na cidade de Masaka, 110 000 dos 342 000 meninos e meninas perderam um dos pais ou os dois para a doença. Em Lusaka, capital daZâmbia, por causa do abandono imposto pela epidemia, o número de crianças de rua saltou de 35.000 para 90.000 em oito anos. Lá, 75% das famílias cuidam de pelo menos um órfão

a- Órfão tendo pais presentes, porém ausentes – este caso é bem comum na sociedade hodierna. Muitos pais restringem o seu dever paternal apenas no tocante á alimentação, vestuário e moradia. Porém Deus o destinou a terautoridade sobre a sua casa.
Autoridade – definição: Uma delegação para cuidar, amar, educar, tratar e proteger. Quando essas coisas faltam no lar, o jovem busca nas ruas. O pai ausente emocionalmente e moralmente. É o pai que se desmoralizou e mesmo estando presente, é como se não estivesse. Vive se escondendo e fugindo do sacerdócio, abdicando de sua função de marido e pai. Não se importando comos filhos e nem com os seus deveres e direitos. Pela medição do Censo do IBGE de 2000 85% das famílias do Brasil os pais são ausentes; 1/3 da população não tem o nome do pai e 70% dos pais não se importam com os deveres dos filhos.
b- Filhos bastardos. Também é grande o numero de crianças no Brasil que não conhecem o pai e nem leva o seu nome. Isto nós herdamos dos nossos colonizadores. Elesquando aqui chegaram, abusaram das índias, engravidando-as e não assumiram a paternidade. Posteriormente fizeram o mesmo com as escravas africanas.
c- Crianças abandonadas – Matéria da revista Veja.
Reportagem publicada em 25/12/1996Os filhos de ninguémSem pai nem mãe, e apenas com um
sapatinho como bem próprio, os órfãos
brasileiros sobrevivem como podemJoaquim de Carvalho Michele da SilvaManuel, de três anos, não se cansa de escutar elogios do tipo: “Que criança bonitinha”. Mas ela quer muito mais do que isso. Michele é uma daquelas crianças que o jargão dos assistentes sociais classifica de “institucionalizada”. Michele é uma órfã. Ao nascer, ela foi abandonada pela mãe, também órfã. Segundo estimativa da Secretaria de Assistência Social, órgão do Ministério da Previdência,...
tracking img